fbpx

6 coisas para fazer em Tacuarembó, Uruguai

A cidade de Tacuarembó é a capital do maior departamento uruguaio, de mesmo nome. Chamada de “Coração do País” e “Pátria Grande”, a modesta cidade de pouco mais de 50 mil habitantes oferece uma experiência turística diferenciada.

Ao chegarmos, notamos que centro da cidade tem prédios históricos bem conservados, e damos destaque para a Prefeitura e para a Casa de Cultura, local com um triste passado por ter sido palco de sessões de tortura, mas que sofreu uma completa ressignificação. Hoje conta com incrível variedade de exposições artísticas e é um centro cultural importante da cidade. A casa tem 75 anos, marco louvável para uma cidade do tamanho de Tacuarembó.

Além da visita ao centro, reunimos outros seis lugares para conhecer nesta bela cidade uruguaia.

 

1. Hotel Museo y Restaurant FordT City

O próprio hotel onde nos hospedamos é um atrativo turístico em si. Além de confortável e espaçoso, o empreendimento conta com um museu com cerca de 20 carros Ford da década de 20. Mas as atrações não acabam por aí: no lugar, está sendo construído uma espécie de cidade, que tem até antiga estação de trem, bombas de gasolina antiga… um lugar fascinante, sem dúvidas!

O restaurante do hotel também oferece uma ótima experiência gastronômica. Clique aqui para saber mais.

 

2. Museo del Indio y del Gaucho

Um dos primeiros museus de temática indígena do Uruguai. Abriga enorme acervo com objetos históricos de indígenas e dos gaúchos que habitavam a região. Foi criado em 1941. Nos impressionou a exposição de grande variedade de ferramentas, adornos e armas utilizadas pelos indígenas. Além de armas e objetos, e vestimentas utilizadas pelos gaúchos utilizadas em batalhas.

O museu também conta a história de uma etnia indígena da região, os ‘charruas’, que foram dizimados em combates e por doenças. Para mais informações sobre o museu, clique aqui.

 

3. Casa Museo Memoria del Pago

O museu que mais nos impressionou foi o Casa Museo Memória del Pago. É museu particular do Dr. Carlo Posada, que também é Diretor Geral de Educação e Cultura do município. O museu nos proporcionou uma ‘jornada’ pela história do gaúcho, repleta de detalhes e ilustrados com um belo acervo de objetos comprados, ganhados e emprestados do proprietário.

Fomos muito bem recebidos por Carlos, que decidiu transformar uma casa de sua propriedade em um rico espaço cultural. É um verdadeiro paraíso para os amantes de história como Rômulo.

O museu também conta com um setor dedicado a Carlos Gardel, importante personalidade relacionada à cidade.

Abaixo explicamos o porquê.

 

4. Museo Carlos Gardel

Existe uma forte teoria de que o renomado músico Carlos Gardel nasceu em Tacuarembó, e não na França, como seus documentos atestam.

O objetivo do Museo Carlos Gardel é provar a origem uruguaia do cantor.

A história mostra que Carlos seria filho do coronel Carlos Escayola, importante chefe político e empresário do distrito. Carlos teria tido um caso amoroso com a própria cunhada, Maria Leila, de apenas 13 anos. O envolvimento resultou em uma gravidez secreta.

Maria Leila foi então, levada à fazenda Santa Blanca, propriedade do Coronel, onde ficou ‘aprisionada’ até o nascimento da criança, que foi entregue a uma conhecida de Escayola, a francesa Berta Gardes.

Berta teria levado o bebê para a França e usado os documentos de um filho seu já falecido para comprovar a maternidade de Carlos, batizado com este nome pela própria Berta.

O museu mostra diferentes documentos como documento de identidade, certidão de óbito, passaporte e diferentes artigos de jornais onde o próprio Carlos Gardel teria confirmado sua nacionalidade uruguaia. O lugar também é repleto de fotografias do cantor.

História interessante que faz valer a visita ao lugar!

O Museo Carlos Gardel está localizado no Valle Éden, vilarejo a cerca de 21 quilômetros da cidade.

 

5. Valle Éden

O Valle Edén tem uma das paisagens mais atrativas do país, marcada pela vegetação espessa, serras e antiga presença ferroviária.

Além do Museo Carlos Gardel, a zona conta com pontos de atração um tanto singulares como o Cerro Cementerio, que oferece uma bela vista da região, e uma antiga e bem conservada estação de trens, palco de diversas filmagens cinematográficas.

É uma região repleta de ótimos atrativos para os apaixonados por natureza. Como as Las Marmitas, formações rochosas banhadas por águas que formam piscinas naturais.

A Cueva del Chivo é um monte com uma cascata atrás que oferece uma bela vista da vegetação do lugar.

 

6. Balneário Iporá

Neste belo balneário, visitamos a Lagoa de la Juventud, onde tomamos um refrescante banho. É um belo lago, com poucas pessoas, e forte presença de árvores fazendo sombra muito bem-vinda em dias de sol forte, como o que fomos. Um ambiente acolhedor, limpo e agradável que vale a visita para relaxar. O balneário conta com ótima infraestrutura para receber os turistas. Seu nome, Iporá, significa ‘bela água’, nome que faz jus ao lindo lugar de águas claras e limpas.

Vale lembrar que Tacuarembó tem um grande número de balneários e atrativos naturais! Um bem conhecido é a ‘Lagoa de las Lavaderas’, que passamos perto.

 

Nossas impressões

Em conclusão, observamos que Tacuarembó é uma cidade preocupada em promover qualidade de vida. Além de bem cuidada e limpa, é repleta de áreas verdes, bem utilizadas por seus moradores.

Classificamos a visita à cidade como uma bela experiência turística… simples, mas que faz-nos lembrar que o turismo verdadeiro é feito pelas boas memórias que criamos no local.

 

Outras indicações

Jantamos no Hotel Carlos Gardel, o restaurante indicado por Marcos Massuti, um dos seguidores do blog. Foi uma ótima experiência gastronômica. Recomendamos.

Ficamos sabendo que em Tacuarembó acontece anualmente a Fiesta de la Patria Gaucha, um grande festival em homenagem à cultura gaúcha, repleto de espetáculos musicais e teatrais, concursos, desfiles e atividades referentes ao tema. Neste ano, o evento acontecerá em março – ainda dá tempo de se programar!

Diversas pessoas também nos indicaram a visita a a San Gregorio de Polanco, uma pequena vila de 3 mil habitantes que fica à beira do gigantesco Rio Negro. É conhecida por ter sido palco de uma revolução ‘artística’, que embelezou a cidade de maneira única. Também nos indicaram a visita a cidade Paso de Los Toros, também banhada pelo mesmo rio e conta com diversos atrativos naturais.

Por estas pequenas cidades ficarem no caminho contrário ao nosso trajeto, já de volta ao Brasil, não fomos. Mas fica a indicação para quem está montando um roteiro e aprecia pequenos vilarejos com muito a oferecer.

 

Clique aqui para reservar os melhores hotéis ou pousadas de Tacuarembó e região. 

Importante:

O Viajante Maduro viaja como ideal de vida e profissão.

Esta matéria contou com a colaboração da jornalista Júlia Beatriz de Freitas.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade!

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Comentários