Araricá, a cidade das azaleias – Vale Germânico – RS

O colorido das azaleias anuncia que chegamos ao nosso próximo destino do Vale Germânico: Araricá. A pequena cidade, de menos de seis mil habitantes, foi emancipada em 1995. Fomos recebidos pelas princesas da Festa das Azaleias, realizada anualmente (se não fosse a pandemia, o evento seria realizado no final de semana da nossa visita).

Maior evento turístico e cultural do Município, a Festa das Azaleias recebe um público superior a 35 mil pessoas durante os seis dias de programação –  atrações de cunho cultural, social e esportivo ocorrem em diversos pavilhões distribuídos no Largo das Azaleias.

Há diversas atividades como exposições de artesanato, indústria, comércio, agricultura familiar, produtos coloniais e gastronômicos, shows musicais locais e regionais, comercialização de azaleias. Durante o evento também ocorre o Encontro de Bois Carreiros, que surgiu para comemorar o Dia do Colono. Historicamente, desde a colonização de Araricá, o meio de transporte utilizado pelos colonos era a carreta. Faz parte também do encontro a Missa Crioula, a pega do Porco na Lama, o Costelão na Vala e a Feira da Agricultura Familiar.

Araricá (ará-rica) é uma palavra de origem guarani que significa “vale dos papagaios” ou “bebedouro dos papagaios”. A palavra “ararica”, sem acento, é o nome popular de uma arara (Ara militaris), de cor verde, com penas azuis e vermelhas nas costas, na cauda e na cabeça. Essa espécie pode ser encontrada no México e nos países sul-americanos do oeste, até o norte da Argentina. No Brasil é encontrada nas encostas (arariquara ou ararí-caa, termos indígenas). Anos atrás, era comum encontrar papagaios na região das encostas do morro Ferrabraz: suas vertentes ofereciam água pura e suas árvores serviam de descanso para as aves em migração.

Nos acompanhe também pelo Instagram e Facebook.

O que fazer

Nossa primeira visita na cidade foi na Elmo Cutelaria, onde entendemos melhor sobre o processo artesanal da produção de facas e outros instrumentos de corte. O proprietário Eduardo Alaor da Cunha nos contou que a paixão começou na infância, quando já desmontava e confeccionava as próprias facas. A empresa surgiu em 1993 e hoje conta com 62 funcionários.

A cutelaria trabalha com facas forjadas integrais a partir de barras de aço redondo, carbono e inox e também confecciona facas em aço inox laminado, recortado e temperado no próprio local pelos artesãos. A marca Criolla trabalha com facas forjadas e a Rodeio em facas laminadas. Os cabos são compostos por chifre de boi, de búfalo e madeiras nobres.

As peças também passam por diversos processos de polimento até chegar a um aspecto espelhado na lâmina. Aprendemos também que a qualidade dos aços é fundamental para a manutenção de fio.

Sem dúvida, um trabalho de muita dedicação à qualidade das peças. Um dado interessante é de que 80% da produção vai para fora do país, para países como Nova Zelândia, Canadá, Estados Unidos e Tailândia.

As facas são muito bonitas e elegantes – ficamos com vontade de comprar diversas para cozinhar –  Cada peça é produzida de forma individual e é visível o cuidado com a qualidade de cada uma delas. Recebemos uma faça gravada a laser com o nome do Viajante Maduro. Adoramos – e já estamos usando!

Contatos
Telefone: (51) 3560-1540 | (51) 9 9449-9079
E-mail: facacriolla@facacriolla.com.br
Endereço: R. Dom Felíciano, 1560 – Industrial – Araricá – RS

 

Araricá também nos trouxe uma surpresa: um novo e inovador empreendimento está surgindo na cidade. O objetivo é mostrar a docilidade dos búfalos (isso mesmo) e comercializar os queijos – atualmente, já estão na propriedade 78 animais. O proprietário Ricardo Moeller deseja estar com tudo pronto e operando em cinco anos. Visitamos a área onde ficará a parte de interação com os búfalos, além de uma loja conceito para a venda de derivados do leite. Esperamos voltar com tudo pronto e mostrar a atração com detalhes para vocês!

No espaço conhecido como Güntherland (Terra do Günther), conhecemos um empreendimento cercado de boas histórias de família. A propriedade dos médicos Alfredo e Silvia foi comprada em 1978 por Theodoro Günther Reich (pai de Alfredo), que desejava que os netos tivessem contato com a natureza desde pequenos. Os dois netos, biólogos, claro, também fizeram do local a sua casa/empreendimento.

São 34 hectares de um espaço aconchegante e que proporciona uma experiência diferenciada para seus visitantes. É possível passear pela propriedade, conhecer o processo de ovinocultura e de alimentos produzidos manualmente. Também são comercializados no local objetos de decoração, acessórios e opções de vestuário feitos de lã. A família produz, ainda, um excelente suco de uva orgânico.

Há, também, um restaurante: uma vez por mês a propriedade abre as portas para um almoço especial.  Não há uma data fixa (com exceção dos feriados de Dia das Mães e Dia dos Pais) e sempre é necessário agendar antecipadamente. Atualmente, na pandemia, é possível receber até 50 pessoas. São servidos quatro tipos de carne + sobremesa por R$ 120. A ideia é fazer do almoço uma celebração familiar, farta, em um local que respeita a natureza e trabalha com educação ambiental – a própria família proprietária faz questão de preparar e servir os visitantes.

Contatos
Telefone: (51) 9 9901-8192
Instagram: @guntherland_rs
E-mail: aoreich@gmail.com
Endereço: R. Urtigão, 251 – Araricá – RS

Onde comer

Nossa última e deliciosa parada foi no Café Santo André. Localizado na RS-239, possui um estilo moderno e rústico ao mesmo tempo. Em um ambiente aconchegante e agradável, há diversas opções de cafés e produtos coloniais diferenciados. Do local, também há uma bonita e privilegiada vista para o Morro Ferrabraz.

Nos foi apresentada a novidade da casa: um café/banquete imperdível (percebam pelas fotos que não estamos exagerando…)

Ficamos apaixonados pelo sonho (ou bola de Berlim) com creme mousseline – o doce preferido de Jorge Amado (no caso, os de Viana do Castelo – Portugal), pelo sorvete artesanal com calda de frutas vermelhas e por tudo que provamos. O nome está correto: foi um verdadeiro banquete germânico!

Fomos recebidos pela proprietária Ana Cristina Baddermann, que também nos contou de outra experiência do Café: o Chá da Duquesa (R$ 98 para duas pessoas) – deve ser agendado antecipadamente.

O espaço do Café Santo André é amplo e, para quem está de passagem, há diversas opções fresquinhas também no balcão. Outro clássico do local é a torrada, os sanduíches e baguetes. Os vinhos disponíveis são 100% nacionais, adoramos ver a valorização do que é nosso!

Horário de atendimento

Segunda-feira das 14h às 19h

Terça-feira, quarta-feira e quinta-feira das 7h às 19h

Sexta-feira das 07h às 20h

Sábado e domingo das 8h às 20h

Contatos
Telefone: (51) 9 8045-5535
Endereço: RS-239, 2090- Campo da Brazina – KM 34 – Araricá – RS

Durante as visitas, recebemos um mimo da HappyBalloon, que fica em um espaço físico cheio de plantas e bem aconchegante no centro de Araricá. Confiram no Instagram as delícias produzidas no local!

Horário de atendimento

Terça-feira a sábado das 8:30 às 11:30 e das 14:00 às 19:00
Domingo das 15:00 às 20:00

Contatos
Telefone: (51) 9 8058-0422
Instagram: @happyballoonbytau
Endereço: R. Oriani – Centro – Araricá – RS

  • Para roteiros personalizados, sugerimos contatar as agências de turismo receptivo que oferecem passeios pelo Vale Germânico:

Rumos Turismo e Conexões

Contatos
Telefone: (51) 9 9341-7441

 

Saint-Michel Viagens

Contatos
Telefone: (51) 9 9117-3523

Esta é uma série sobre os nove municípios que integram o Vale Germânico: Araricá, Campo Bom, Dois Irmãos, Ivoti, Morro Reuter, Novo Hamburgo, Santa Maria do Herval, São Leopoldo e Sapiranga.

Viajamos a convite do Vale Germânico e contamos com o apoio das Prefeituras/ Secretarias de Turismo dos municípios envolvidos e Sebrae RS.

Agradecemos a recepção da Secretária de Turismo Mara Alexandra de Souza e de todos que nos receberam em Araricá!


Confira as demais atrações desta bela região gaúcha:



Importante:

O Viajante Maduro viaja como ideal de vida e profissão.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade!

A série de textos sobre o Vale Germânico contou com a produção textual da publicitária Alexandra Ungaratto e fotos e vídeos da futura publicitária Lúcia Fávero Moraes, mas com nosso acompanhamento e, principalmente, nossa experiência e vivência.

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

Comentários