ARTE E ENCANTAMENTO EM BILBAO – ESPANHA

Bilbao sempre me fascinou, principalmente após a inauguração do Museu Guggenheim. Esse foi o principal motivo para escolhermos essa cidade como uma das paradas de nossa Trip Europe, etapa Espanha.

Visitar o Museu Guggenheim, nosso objetivo!

Deixando a França, como contamos no post anterior, chegamos a Bilbao de ônibus. Tomamos um táxi até o Hotel Ibis, instalado no centro da cidade, excelente localização, design dos espaços e atendimento, além de bom preço.  Super recomendamos!

Recomendamos! Hotel Ibis Bilbao.

Após o check-in, fomos dar uma caminhada, em direção ao Museu Guggenheim. A visão do mesmo já impacta de longe. Quanto mais nos aproximávamos, mais percebíamos os seus detalhes.

Arte por todo o caminho que leva ao Guggenheim.

Mais próximos, nos encantamos com o grande urso em topiaria, recoberto de flores de amor perfeito. É um lindo projeto, uma excepcional obra, inclusive de manutenção.

O grande urso em topiaria, coberto de amores perfeitos.

Compramos os ingressos para a visita e o encantamento com a arquitetura interna seguiu. Perdíamo-nos olhando para cima, os grandes átrios, os espaços, as pontes, os acessos, metal e vidro, espaços e curvas, um prato cheio para quem curte arquitetura e design.

Encantamento!

Sobre as obras expostas, bem nem tudo nos agrada, mas vale a observação, pois nem sempre há a compreensão.

Um parenteses: Tive o privilégio de ter como professor, da Especialização e do Mestrado em Turismo, o admirado Prof. Dr. Mario Beni. Utilizarei alguns comentários que ele, recentemente, postou em seu perfil do Facebook, visto estar percorrendo, em maio de 2017, alguns dos lugares que visitamos em janeiro deste mesmo ano.

Uma gigantesca flor metálica vista como o protótipo do museu do século XXI, é definido como a maior construção do nosso tempo. O edifício representa um magnífico exemplo da arquitetura de altíssima vanguarda do século XX. Seu arquiteto, Frank O. Gehry, projetou um arrojadíssimo e escultural edifício que muitos o qualificaram como o grande avanço da arquitetura do terceiro milênio. (Frase publicada pelo Dr. em Turismo, Mario Beni, falando de sua visita a este espetacular museu)

De lá partimos para uma longa caminhada ao longo da Ria de Bilbao (também conhecida como Nervión ou como Ibaizábalem direção ao Casco Viejo, onde pudemos presenciar a forma de vida da população local.

Ria de Bilbao (também conhecida como Nervión ou como Ibaizábal)

Era uma sexta-feira e os bares e cafés estavam repletos de pessoas comendo as tapas, bebendo cervejas, vinhos, café, muitos fumando e conversando animadamente.

Casco Viejo de Bilbao.

Ora, aproveitando o horário da ‘siesta’ para viver a vida! O quanto eles são animados nos chamou a atenção! O impressionante era perceber que pessoas que estavam trabalhando estavam aí e, ‘no stress’, depois voltariam a trabalhar.

Tapas e Pintxos. Na grande maioria das províncias da Espanha, reinam as Tapas,principalmente na Costa Brava e Costa del Sol. Aqui no País Basco imperam os decantados Pintxos, aqueles tira-gostos com palito, na verdade, constituem o eixo da cultura gastronômica de Bilbao, San Sebastian como todo o Golfo Cantábrico, com tempo bom ou tempo ruim, as ruas e as bodegas ficam repletas de moradores e visitantes, que se reúnem em torno dos famosos Pintxos, zuritas (pequenos copos de cerveja) ou txiquitas pequenas taças de vinho. Existe uma grande concorrência entre os botecos para apresentar os mais requintados, originais e especialmente criativos Pintxos. E a competição se dá de uma maneira muito curiosa e rendosa para os bodegueiros, numa verdadeira maratona gastronômica e etílica. A média de visita nas bodegas chega a quatro per capita.

Mario Beni

Casco Viejo, Bilbao, Espanha.

Infelizmente, o Rômulo não estava muito bem neste dia – gripe. Voltamos ao hotel cedo e ele dormiu longas 12 horas até se recuperar. Antes, o interrompi para tomar a sopa que consegui no hotel, bem como chás e alguns medicamentos.

Mas ele não deixou de fazer a ‘fézinha’!

No dia seguinte buscamos nosso carro no aeroporto. Se a experiência com a locadora de automóveis Maggiore, na Itália, foi negativa, com a Hertz, em Bilbao/Espanha, foi muito positiva. Excelente atendimento e o carro que nos foi disponibilizado foi além das expectativas. Ocorre que estávamos reservando um carro básico + GPS  e nos foi oferecido um superior, com GPS incorporado, ou embutido, por quase o mesmo valor.

Uma homenagem ao grande avô, sempre atual!

Bilbao, em basco Botxo, como a chamam os seus mais de 350 mil habitantes, é a maior cidade dos Países Bascos. É a capital da província de Bizkaia, porta de ingresso e a Euskadi. Grande polo industrial e o maior do país. Ao longo das margens do rio Nervón. O país Basco – Euskal Herria é o nome dado à região histórico-cultural em que residem os bascos, localizada no extremo sudoeste da França, cortada pela cadeia montanhosa dos Pirineus e banhada pelo golfo de Biscaia. A comunidade autônoma Basca, cosiste em três províncias: Alava com sua capital Vitória; Biscaia com sua capital Bilbao e Guipuscoa com a majestosa capital San Sebastian- Donostia. Tendo, ainda, a Comunidade Foral de Navarra e sua capital Pamplona.

Mario Beni

Alguns detalhes desta linda cidade!

Trens elétricos de Bilbao.
Construções modernas contrastam com as antigas e preservadas.
Patrimônio físico conservado. Belos prédios.
Os espanhóis protestam!
A Ria de Bilbao.

Nossa meta era cruzar a Espanha de Bilbao em direção a Sevilla, nosso destino final neste país. No próximo post, contaremos mais algumas histórias deste percurso.

O que buscamos ao viajar é encontrar uma espécie de união entre o que a destinação tem a oferecer e aquilo que esperamos descobrir e vivenciar. Passamos boa parte da vida perseguindo imagens brilhantes que visitaram nossa imaginação durante nossa juventude. Os mitos, os heróis, as histórias fantásticas e os palcos onde fulguram e ocupam para sempre lugar especial nos escaninhos da memória, principalmente daqueles que tiveram a ventura de receber no seu sorteio genético, ou aprenderam a cultivar, doses mais generosas de imaginação e sede de eternidade.
Quando ficamos nesse estado ” estático” mas dinâmico, psicologicamente considerado numa espécie de ócio criativo, segundo Domênico De Masi, é que experimentamos os conhecimentos do lazer e do imaginário, do cotidiano, das relações com as pessoas de diferentes culturas, enfim a nossa própria criação diante do que interpretamos de um elemento do patrimônio natural ou cultural.
Ressurge em nós, nessa busca por descobrir o novo, seguro e benéfico, o atávico nômade que fomos e que nunca se assenta em definitivo, pois palpita em nós sempre o desejo de desbravar caminhos diferentes, para nossa satisfação e necessidade de crescimento existencial. (…)

Mario Beni

Novamente na estrada!

DICAS PARA UMA AGRADÁVEL VIAGEM:

Reserve seu hotel, inclusive o que indicamos, aqui

Viaje tranquilo com o Seguro de Viagem da Mondial

 

CONHEÇA NOSSA HISTÓRIA:

No início de 2017 nos permitimos vivenciar uma experiência por 4 países da Europa. Veja post aqui e conheça nossa história.

Em janeiro passamos 16 dias aproveitando o Norte da Itália. Iniciamos por Milão, passando por Verona, Valpolicella, Conegliano, Padova, Bolonha, Ferrara, Siena e outras várias cidades da Toscana, Gênova, Bra e outras cidades do Piemonte, finalizando em Milão, novamente. Daqui partimos para a França, incluindo Bordeaux, depois Espanha e Portugal, totalizando 54 dias de viagem.

 

IMPORTANTE:

A viagem (Europe Trip) do Viajante Maduro (Itália, França e Espanha) não tem qualquer patrocínio, nem conflito de interesse. A opinião aqui expressa é a nossa verdade! A autoria das fotos é de Ivane Fávero.

Comentários