Avaliação Nacional de Vinhos 2020 – A Safra das Safras Confirmada!

Tive a honra de ser uma das 16 comentaristas convidadas para avaliar as amostras mais representativas da Safra 2020. Apreciadores de vinhos de 24 estados brasileiros, além do Distrito Federal, Uruguai e Chile, acompanharam pelas redes sociais e YouTube da ABE e degustaram em casa as 16 amostras.

Posso afirmar que foi um dos momentos mais emocionantes de minha vida (só não superou, neste segmento, a homenagem que recebi no ano passado, quando me entregaram o Troféu Vitis, Amiga do Vinho). Estava tensa, envolta nos preparativos e comemorações do aniversário de 88 anos de meu pai e de 21 anos de minha filha. Quando me chamaram para descrever a segunda amostra, um vinho base para espumante, senti que estava tremendo… Mas, antes de contar esta minha história, deixa eu falar um pouco mais sobre esse grandioso e inovador evento sobre a qualidade dos vinhos degustados (impressionante) e sobre o trabalho vitorioso da Associação Brasileira de Enologia – ABE.


 

No início de março, os enólogos brasileiros já afirmavam que estavam diante da ‘Safra das Safras’. De Norte a Sul do país, eles tinham razão. A prova foi a Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020, que na taça mostrou que esta é a melhor safra de vinhos que o Brasil já teve. O evento, que desde 1993 sempre foi presencial, em razão da pandemia se transformou na maior ação de promoção do vinho brasileiro, chegando à casa de 700 apreciadores do Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins, além do Distrito Federal e dos países vizinhos do Chile e Uruguai. Realizado neste sábado, 7 de novembro, foi transmitido ao vivo pelos canais da entidade a partir das 17h.

Enquanto os comentaristas degustavam e falavam das 16 amostras representativas da Safra 2020, os apreciadores acompanhavam de casa degustando a mesma amostra. Isso porque a ABE teve a ousadia de montar um kit com os 16 vinhos. Para fazer com que as 16 garrafas com 187 ml cada chegassem à casa de cada apreciador foi montada uma mega operação. Diretores da ABE participaram de cada etapa, coletando amostras, degustando, envasando. Tudo para que cada participante pudesse degustar e descobrir o seu vinho, o vinho brasileiro. Afinal, a Avaliação Nacional de Vinhos é o grande momento do vinho brasileiro, é quando a diversidade e qualidade dos vinhos nacionais estão além de qualquer marca comercial. “A nossa bandeira é a dos vinhos brasileiros”, destaca o presidente da ABE, enólogo Daniel Salvador.

As 11,2 mil garrafas, sendo 16 para cada apreciador, foram envasadas e rotuladas e por 12 dias percorreram até 5,2 mil quilômetros para chegar à casa de todos que participaram deste grande momento. Foram quase 3 litros de vinho cada kit, o que permitiu que até três pessoas pudessem degustar cada amostra, chegando a mais de 2 mil pessoas. Para isso, foram mais de 2 mil litros de vinho no total, 130 litros cada amostra. Com transmissão ao vivo aberta e gratuita para o mundo, a Avaliação Nacional de Vinhos pode ser acompanhada por milhares de apreciadores, que mesmo sem ter tido a oportunidade de adquirir o kit, porque era limitado e a venda esgotou em menos de 2 horas, abriu seu vinho brasileiro de preferência e viveu a experiência no sofá de casa.

“Nunca o Brasil, tanto vinícolas, quanto enólogos, esteve tão preparado tecnicamente, com profundo conhecimento, precisão na Viticultura e Enologia, para receber e processar uma matéria prima de tamanha qualidade. Esta safra veio para coroar todo esforço empenhado em anos de trabalho e pesquisa. Não se faz um vinho sozinho. E este ano, a mãe natureza fez a sua parte de forma esplêndida. Coube a nós, enólogos, ter a sensibilidade e o conhecimento suficientes para gerar o melhor vinho de nossas vidas. O seu vinho, o vinho brasileiro”, complementa Salvador.

A Avaliação Nacional de Vinhos já era considerada a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo. Agora, neste formato digital, ela ganhou uma proporção ainda maior, chegando à casa de quem pela primeira vez teve a oportunidade de degustar as amostras mais representativas da safra. “A Avaliação nunca mais será a mesma. Não tivemos a emoção do presencial, mas por outro lado o vinho brasileiro foi descoberto por mais pessoas, ganhando mais espaço na mesa do consumidor brasileiro”, reforça o presidente da ABE.

 

E eu confirmo o que o Presidente da ABE, o querido Daniel Salvador, comentou acima. Foi um evento de superação! Como disse em minha fala, eles podiam ter-se amedrontado com todos os desafios de fazer um evento híbrido, em plena pandemia, e ter cancelado o evento. Era mais fácil e mais cômodo. Mas esse não é o perfil da ABE! Eles são incansáveis, já aprenderam a ser como enólogos, enfrentando longas safras. Assumiram o desafio e criaram algo novo, que só agregará valor ao evento presencial que já acontecia e, esperamos, volte a ocorrer. Mas o virtual, com a possibilidade de acompanhar e degustar de casa, não poderá mais ser deixado de lado, com certeza!

Presidente da ABE, Daniel Salvador, abriu a Avaliação
Uma edição histórica

A Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020 é histórica por quatro motivos. O primeiro, por ser a ‘Safra das Safras’, ou seja, a melhor safra que o Brasil já registrou. O segundo, motivado pelo primeiro, por bater recorde no número de amostras com a inscrição de 395 vinhos de 56 vinícolas. O terceiro, por bater recorde em relação aos estados representados pelo público participante, chegando a 21. E por fim, certamente o mais impactante, é a mudança de formato que sai do presencial e vai para o on-line, em razão da pandemia da Covid-19. A emoção do encontro foi substituída por um espetáculo que pode ser assistido no mundo todo via Facebook, Instagram e Youtube da ABE. No local do evento, somente a presença de comentaristas convidados e equipe de organização e transmissão, seguindo um amplo e rigoroso protocolo de segurança conforme regras do Ministério da Saúde.

Antes de apresentar os comentaristas e as 16 amostras destacadas, com os respectivos comentários, já fica a dica para, assim que estiverem no mercado, adquirir estes vinhos. Se forem jovens, beba imediatamente, afinal, como disse em minha fala, me referindo a Oscar Wilde, só os poucos criativos não encontram um motivo para beber (champagne, ele disse) um espumante ou vinho, digo eu. Se for um vinho de guarda, paciência, espere o seu tempo, para desfrutar do produto em seu apogeu.

 

Em minha fala também citei Santo Agostinho (para mim, um dos maiores filósofos), que afirmava só haver um tempo: “O presente do passado é a memória, o presente do presente é a percepção, o presente do futuro é a expectativa”. E, assim, relacionei o tempo passado ao aniversário de meu pai que me ensinou que o vinho vem do trabalho e da natureza e que devemos agradecer ao sol, ao vento, à terra, ao suor humano, ao conhecimento… O tempo presente ao desfrute daquele momento, relacionei ao aniversário de 21 anos de minha filha, à vivacidade, aos aromas de frutas e flores e ao fato de ela me ensinar a viver e brindar o momento… O tempo futuro à expectativa do excelente produto que virá, pois uma base de espumante é uma esperança e este produto me leva a crer que será um grande espumante. Já pedi para a vinícola me avisar assim que ele estiver no mercado. Soube, logo depois, que estava degustando um grande espumante da Chandon! Quase teria arriscado dizer que devia ser, pois me lembrou a elegância, o equilíbrio e a qualidade de seus produtos. Aqui também fiz uma menção ao turismo, especialmente ao enoturismo. Comentei sobre o momento mais que delicado que vivemos, com a pandemia e o quanto o setor tem sido atingido, mas evoquei um tempo futuro onde possamos voltar a viajar para lindos destinos enoturísticos…  Um brinde ao futuro e ao vinho brasileiro!

Nesta edição aprendi algo, como disse o Murilo de Minas, “mergulhei meu diploma de turismóloga no vinho” e só aumenta minha paixão por este setor!

 

  • Ah, todo evento está disponível no canal da ABE – Youtube – CLIQUE AQUI.

 

Eu já havia sido avaliadora comentarista da edição da Avaliação Nacional de Vinhos, quando o evento reunia 1000 pessoas nos Centro de Eventos de Bento Gonçalves. Evento lindo, marcante, com todas aquelas pessoas te assistindo ao vivo, a entrada dos garçons super organizada, como um grande corpo de balé, os shows, a confraternização, os abraços… Desta vez foi diferente, mas igualmente lindo e super bem organizado pela ABE.

Na foto, eu com meu amore, o Rômulo, que me acompanhou na degustação, dando todo o incentivo ao meu envolvimento com este setor que amo. 

 

AS 16 AMOSTRAS E SEUS COMENTARISTAS

CATEGORIA VINHO BASE ESPUMANTE
  1. Chardonnay – Cooperativa Vinícola Aurora – Bento Gonçalves (RS)

Leandro Bianchi Santini – Enólogo do ano 2019 – Brasil

  1. Riesling Itálico/Chardonnay/Pinot Noir – Chandon do Brasil – Garibaldi (RS)

Ivane Fávero – Especialista em Enoturismo – Brasil

  1. Pinot Noir – Casa Valduga – Bento Gonçalves (RS)

François Hauteker – Enólogo – França *

CATEGORIA BRANCO FINO SECO NÃO AROMÁTICO
  1. Riesling – Cooperativa Vinícola Garibaldi – Garibaldi (RS)

Antônio Calloni – Ator – Brasil *

  1. Chardonnay – Cooperativa Vinícola Aliança – Santana do Livramento (RS)

Eugênio Lira – Enólogo – Chile

CATEGORIA BRANCO FINO SECO AROMÁTICO
  1. Sauvignon Blanc – Vinícola Família Lemos de Almeida – Vacaria (RS)

Rodrigo Bellora – Chef – Brasil

  1. Moscato Giallo – Vinhos Hortência – Flores da Cunha (RS)

Guilherme Pasin – Prefeito de Bento Gonçalves – Brasil

CATEGORIA VINHO ROSÉ FINO SECO
  1. Cabernet Sauvignon – Vinícola Almadén – Santana do Livramento (RS)

Victor Sorrentino – Médico – Brasil

CATEGORIA VINHO TINTO FINO SECO JOVEM
  1. Merlot – Vinícola Salton – Bento Gonçalves (RS)

Daniel Scola – Jornalista – Brasil

CATEGORIA TINTO FINO SECO
  1. Tannat – Casa Perini – Farroupilha (RS)

Bob Júnior – Sommelier – Brasil

  1. Cabernet Franc – Vinícola Don Guerino – Alto Feliz (RS)

Alexandre Lalas – Jornalista – Brasil *

  1. Tannat – Família Bebber – Flores da Cunha (RS)

Murillo de Albuquerque Regina – Dr. em Enologia e Viticultura – Brasil

  1. Merlot – Pizzato Vinhas e Vinhos – Bento Gonçalves (RS)

Cecília Aldaz – Sommelier – Argentina

  1. Merlot – Vinícola Cave de Pedra – Bento Gonçalves (RS)

Fernando Pettenuzzo – Enólogo – Uruguai *

  1. Tannat/Cabernet Sauvignon/Cabernet Franc – Casa Venturini – Flores da Cunha (RS)

Galvão Bueno – Apresentador – Brasil *

  1. Touriga Nacional/Tempranillo/Petit Verdot/Merlot/Cabernet Sauvignon/Tannat – Vinícola Miolo – Bento Gonçalves (RS)

Rodrigo Ferraz – Sommelier – Brasil

 

* Comentaristas que participaram on-line

 

OS NÚMEROS DA AVALIAÇÃO

O que? 28ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2020

Quando? 7 de novembro de 2020

Onde? SPA do Vinho – Vale dos Vinhedos com transmissão ao vivo pelo Youtube, Instagram e Facebook da ABE

Promoção: Associação Brasileira de Enologia (ABE)

Número de amostras inscritas: 395 amostras

Número de vinícolas: 56 vinícolas

Apreciadores: 24 estados brasileiros, além do DF, Chile e Uruguai

Garrafas: 11.200 garrafas, sendo que cada kit contou com 16, uma de cada amostra (quase 3 litros de vinho cada kit, resultando em mais de 2 mil litros de vinho – 130 litros para cada amostra)

 

VINHOS DESTACADOS E SUA DESCRIÇÃO

 

Descrição Sensorial dos 16 vinhos representativos realizada pelo painel de degustação da ABE.

(Foram coletadas as palavras e expressões mais frequentes da descrição feita por 16 enólogos, às cegas, durante a degustação de confirmação, de 30/09/2020).

Categoria: Vinho Base Espumante

 

  1. VINHO BASE ESPUMANTE (Chardonnay): Vinho límpido e brilhante, amarelo palha, com reflexos esverdeados, de intensidade média. No nariz se apresenta fino, elegante, delicado e nítido, com intensidade média. Aroma de flor de laranjeira, frutas cítricas e de polpa branca, como abacaxi, maçã, pêssego, pera, banana. Em boca é refrescante, persistente, com boa acidez e equilibrado, bom volume, notas de maçã verde, agradável, completo, com final de boca frutado.

Cooperativa Vinícola Aurora – amostra 294

 

  1. VINHO BASE ESPUMANTE (Chardonnay, Riesling Itálico e Pinot Noir): Vinho límpido e brilhante, de tonalidade amarelo palha esverdeado. Aroma intenso, fresco, nítido e elegante, aparecem frutas cítricas e brancas maduras, pomelo, abacaxi, pêssego, pera, maçã verde e nota floral (flor de laranjeira) e mel, com boa intensidade aromática. No paladar é agradável, com bom equilíbrio, acidez marcante, com notas de pêssego e mel, boa estrutura e longo final de boca.

Chandon do Brasil – amostra 253

 

  1. VINHO BASE ESPUMANTE (Pinot Noir): Vinho límpido e brilhante de linda cor amarelo palha e reflexos cobreados. Aroma intenso de excelente qualidade, com sutil nota de frutas vermelhas frescas, como morango, cereja e framboesa, frutas brancas como abacaxi, pera, pêssego, maçã verde e leve floral. Na boca é volumoso, harmônico, equilibrado, acidez marcante, frutado, cítrico, com retrogosto agradável e muito boa persistência.

Casa Valduga Vinhos Finos – amostra 242

 

Categoria: Branco Fino Seco Não Aromático

 

  1. RIESLING ITÁLICO: Vinho límpido, brilhante, amarelo palha com reflexos esverdeados. Aroma intenso, com notas de mel, frutas cítricas e tropicais como carambola, abacaxi maduro, manga, butiá, maçã verde, também damasco, pêssego, pera e frutas em calda como pêssego e figo. Em boca é harmônico, com boa acidez e frescor equilibrado, com a presença de frutas brancas maduras, também abacaxi em calda, com bom volume de boca e persistência.

Cooperativa Vinícola Garibaldi – amostra 353

 

  1. CHARDONNAY: Vinho límpido, brilhante, amarelo palha intenso com tons dourados. Aroma intenso, complexo e elegante, aparecem frutas brancas maduras como abacaxi, banana, maçã, pêssego, frutas secas, damasco, notas de baunilha, chocolate branco, coco, tostado, café, carvalho, madeira de boa qualidade. Apresenta bom volume de boca, untuoso, com ataque doce, equilibrado e boa acidez, notas de abacaxi, pêssego, mel, baunilha, carvalho, madeira muito bem casada, completo, retrogosto com notas de frutas maduras e longa persistência.

Cooperativa Agroindustrial Nova Aliança – amostra 326

 

Categoria: Branco Fino Seco Aromático

 

  1. SAUVIGNON BLANC: Visual brilhante e límpido, amarelo palha claro, com traços esverdeados. Aroma

de intensidade média, com frescor de frutas tropicais, maracujá, papaia, melão, também, pêssego, pomelo, intensa nota floral, notas vegetais como aspargo, arruda, sálvia, broto de tomate e capim limão.  O paladar é equilibrado, refrescante, com boa acidez, corpo médio, notas de maracujá, limão, goiaba e damasco, leve nota vegetal.  Tem bom volume de boca, um toque mineral,  retrogosto frutado e persistência marcante.

Vinícola Família Lemos de Almeida Vinhas – amostra 406

 

  1. MOSCATO GIALLO: Visual límpido e brilhante, amarelo palha claro com reflexos esverdeados. Aroma intenso, fino, cítrico, frutado com notas de pêssego, mamão, papaia, graviola, intensas notas florais como jasmim, rosas, flor de laranjeira, lavanda, notas de batata doce, mel, também notas vegetais, alecrim e erva cidreira. Na boca é intenso, refrescante, elegante, agradável e equilibrado, entrada doce, repete as notas aromáticas como pêssego, batata doce e ervas. Notas nítidas de moscatéis, com boa acidez, corpo médio, bom volume, final de boca frutado e prolongado, persistência excelente.

Hortência Vinhos e Espumantes – amostra 390

 

Categoria: Rosé Fino Seco

 

  1. CABERNET SAUVIGNON: Visual límpido, brilhante, delicado, com tons de salmão, rosado, cobreado, de excelente visual. Aroma elegante, intenso, frutas vermelhas (morango, framboesa, cereja, ameixa), negras (amora fresca e cassis), também frutas como pêssego, damasco, goiaba e nota floral (rosas). Na boca aparecem frutas maduras (morango), tem bom volume e frescor, harmônico, equilibrado, acidez marcante, com final de boca frutado e persistente.

Vinícola Almadén – amostra 53

 

Categoria: Tinto Fino Seco Jovem

 

  1. MERLOT : Visual límpido e brilhante, com coloração vermelho rubi, vivo, com reflexos violáceos, bastante intenso. No nariz tem intensidade média, destacam se as notas frutadas, frutas vermelhas frescas (framboesa, cereja, groselha, morango), frutas secas (damasco), geleia e compota, com toque de mentolado. Em boca é leve, macio, agradável e elegante, com acidez equilibrada e corpo médio, com notas de torrefação, taninos leves e boa persistência.

Vinícola Salton – amostra 102

 

Categoria: Tinto Fino Seco

 

  1. TANNAT: Visual brilhante de intensidade média, coloração rubi violáceo. No nariz apresenta intensidade média, com notas de cassis, frutas vermelhas (groselha, cereja, framboesa, morango) e negras (amora), especiarias (cravo, baunilha), café, mentol e eucalipto. Em boca é complexo e harmônico, acidez moderada e ataque adocicado, corpo médio e bom volume de boca, muita fruta, compota, madeira bem presente, taninos macios, com final de boca frutado e elegante.

Casa Perini – amostra 467

 

  1. CABERNET FRANC: Visual profundo e intenso, com coloração rubi e reflexos violáceos. No nariz tem muita intensidade, com notas de frutas vermelhas e negras (framboesa, ameixa, amora e mirtilo), especiarias, cravo, baunilha, chocolate, castanha, tabaco, mentol, com madeira equilibrada e leve herbáceo. Em boca é bastante harmônico, equilibrado e agradável, acidez equilibrada, bastante corpo e volume de boca, frutado com leve pimenta, bastante estruturado, taninos doces e macios, com bom potencial evolutivo, persistência média/alta.

Vinícola Don Guerino – amostra 588

 

  1. TANNAT: Visual brilhante, intenso e profundo, tonalidade vermelho rubi vivo, com reflexos violáceos. No nariz é fino, de boa qualidade e intensidade média, com notas de geleia, frutas vermelhas e pretas (cereja, framboesa, amora, ameixa vermelha e preta, e mirtilo), também baunilha, chocolate, café e especiarias, toque de tostado e eucalipto. Em boca é equilibrado, intenso e elegante, ataque doce inicial, acidez correta, boa estrutura e volume de boca, untuoso, com notas de especiarias e madeira bem equilibrada, taninos presentes, macios e agradáveis, boa persistência.

Família Bebber – amostra 499

 

  1. MERLOT: Visual limpo e brilhante, com coloração vermelho rubi profundo. No nariz é agradável, notas de frutas vermelhas maduras e negras (amora e mirtilo), notas da madeira, tostado, baunilha, caramelo, café, menta, especiarias, pimenta preta, toque de vegetal e couro. Em boca tem boa acidez e estrutura, taninos elegantes e envolventes, notas de frutado, chocolate e tostado, bastante potente, com final de boca prolongado e retrogosto amadeirado.

Pizzato Vinhas e Vinhos – amostra 433

 

  1. MERLOT: Visual excelente, de intensidade média/alta, com tonalidade rubi violáceo profundo. No nariz é complexo e de alta intensidade, destacam-se as frutas vermelhas maduras, uvas passas (ameixas), frutas em calda e geleia, com toque de café, chocolate e baunilha, leve mentolado. Em boca é potente, robusto, quente e intenso, com acidez moderada e certo “dulçor”, estruturado, com bom volume de boca, com aromas de frutas maduras e chocolate, taninos presentes e maduros, madeira integrada e de boa qualidade, com boa persistência.

Vinícola Cave de Pedra – amostra 446

 

  1. TINTO DE CORTE (Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Tannat): Visual bastante intenso, coloração vermelho violáceo. No nariz é complexo e agradável, com notas de frutas vermelhas e negras (amora, groselha, morango, ameixa preta, mirtilo), compota, geleia e licor de cassis, especiarias, baunilha, cacau, café, tabaco, com barrica bem integrada, notas de mentol e eucalipto. Na boca é intenso, equilibrado e elegante, acidez presente e estrutura média, taninos ‘doces’ e marcantes, corpo intenso e excelente volume de boca, com madeira adequada e longa persistência.

Casa Venturini Vinhos e Espumantes – amostra 607

 

  1. TINTO DE CORTE (Cabernet Sauvignon, Merlot, Petit Verdot, Tempranillo, Touriga Nacional, Tannat): Visual intenso e profundo, com tonalidade vermelho violáceo. No nariz é bastante intenso, complexo, destacam-se as notas de cassis, frutas vermelhas e negras (cereja, ameixa preta, amora, figo, açaí, groselha), frutas passas, compota e geleia, cassis, chocolate e caramelo, especiarias, anis, mentolado, cravo, canela e pimenta. Em boca é intenso, potente, equilibrado, ataque adocicado e boa acidez, volumoso e com excelente estrutura, com notas frutadas e de torrefação, madeira equilibrada, taninos elegantes, grande potencial de guarda, muito persistente.

Vinícola Miolo – amostra 619

 


Elaboração do descritivo das amostras: Odinéli Louzada dos Santos Côrrea, Magda Beatris Gatto Salvador, Mauro Celso Zanus

Fotos: Jeferson Soldi

 

Importante:

O Viajante Maduro viaja como ideal de vida e profissão.

Esta matéria contou com a colaboração da futura publicitária Lúcia Fávero Moraes.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade!

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Comentários