Espetacular Tour pelo Circuito das Águas – São Paulo – Brasil

Águas de Lindoia é um dos onze municípios paulistas designados como estâncias hidrominerais pelo estado de São Paulo. Estes municípios devem cumprir determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual, que versam sobre a preservação do meio ambiente, especialmente. Lá estivemos e aproveitamos para conhecer alguns dos demais municípios que compõem o Circuíto das Águas Paulistas: Amparo, Holambra, Jaguariúna, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Pedreira, Serra Negra e Socorro.

O Circuíto está localizado na região que recebe a denominação de Serra da Mantiqueira, abrangendo os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, sendo formada por uma cadeia montanhosa. Nos contam que o nome “Mantiqueira” é um termo de origem tupi que significa “gota de chuva”. A região tem altitudes médias de 1200 a 2800 metros.

Viajamos a convite do Villa di Mantova Resort Hotel, localizado em Águas de Lindóia, onde ficamos na maior parte dos 4 dias que lá estivemos, e contamos tudo neste post.

Mas como um viajante maduro não se aquieta nem num resort, fomos conhecer um pouco da região, num agradável dia de sol, com a temperatura tão elogiada desta região, cercada pela Serra da Mantiqueira. O tour foi conduzido pelo experiente e muito capacitado guia Cesar, da Agência de Turismo Curto Circuito.

 

Águas de Lindóia

Inicialmente, conhecemos Águas de Lindóia, que possui  um popular balneário de Águas Termais. A cidade tem aquela identidade de cidade interiorana, mas com grandes prédios. Um dos cartões postais é a Praça Adhemar de Barros, com seus jardins projetados por Roberto Burle Marx, com lago e ampla área verde, que possibilita caminhadas e o usufruto da tranquilidade desta região.

O mais interessante, no entanto, é conhecer a história do termalismo desta cidade que é considerada a Capital Termal do País.  O Cesar nos contou e compartilhamos tão rico depoimento.

Contam que os benefícios das águas desta região já eram conhecidos no século XVIII, no início dos anos 1700, quando a região era batizada pelo nome de terra das “Águas Quentes”. Por aqui passavam Bandeirantes e tropeiros que já aproveitavam as águas que “brotavam” da terra a uma temperatura de 28º C. Ocorre que um certo médico italiano,  Francisco Antônio Tozzi, mudou-se para cá em 1900, juntamente com seu tio, o padre Henrique Tozzi. Quando vivia em Serra Negra, a 20 quilômetros de Águas de Lindóia, tomou conhecimento da cura de um eczema na perna do seu tio, então pároco em Lindóia, pelas águas que jorravam num morro próximo às Fazendas do Pelado.

Como bom negociante, ao saber do leilão das terras, as adquiriu.  Em 1913, construiu seu primeiro e singelo consultório de pau-a-pique, e em 1914, trouxe sua família. Já em 1920, com o conhecimento de um trabalho científico sobre as águas radioativas, realizado pelo médico cientista Dr. Celestino Bourroul, trouxe ainda mais força para a região.

No entanto, a fama da água desta região (que pertencia à Serra Negra) se projeta quando, em 1926, o Dr. Tozzi recebe a visita da renomada cientista, madame Curie, Prêmio Nobel de Química no mesmo ano, muito reconhecida pelos trabalhos no campo da física radioativa. A cientista, analisando e constatando o valor terapêutico destas águas radioativas, divulga-as na Europa, principalmente na França, em um estudo científico publicado.  Áureos tempos do termalismo brasileiro!

Em 1946, o embaixador Macedo Soares, então governador do Estado, conhecendo a grande projeção desta estância, resolveu desapropriar as fontes e áreas de terra que as circulavam, evitando assim as grandes especulações que poderiam ocorrer. Em 1954, se iniciou a construção do novo balneário, finalizado em 1959 e um novo plano urbanístico começou a se concretizar com o surgimento de novas ruas asfaltadas, jardins e praças.

CURIOSIDADE:  Nos informam que a cidade teria fornecido 100 dúzias de garrafas, de 500 ml, com água mineral, para a Missão Apolo 11, que levou o homem à lua em 1969! Para comprovar, possuem uma Nota Fiscal emitida contra a Nasa, exposta no balneário municipal.

Águas de Lindóia, a ‘Capital Brasileira do Termalismo’, localiza-se a 180 km de São Paulo e faz divisa com Minas Gerais (somente 8 quilômetros), numa área de 55 Km² de montes e vales na Serra da Mantiqueira, a uma altitude média de 945 metros e clima ameno. O município possui uma considerável rede hoteleira, com aproximadamente 7 mil leitos e múltiplos espaços para eventos e convenções.

Aproveitamos para conhecer um ‘restaurante-roça’, o Sítio Monte Alegre, onde é servida a comida caipira, paulista, mas com forte toque mineiro. A simpatia da família que nos acolhe, somada à simplicidade do lugar, nos cativou imediatamente. Não almoçamos por aqui neste dia, mas o cheirinho das panelas aquecidas no fogão à lenha, nos deu água na boca (e  já tínhamos almoçado!).

Deliciosa comida caipira!
O Seu Zé e sua venda! Ele já viajou muito pelo Brasil e guarda relíquias de vários lugares, como o lampião comprado em Garibaldi – RS.
Nem precisa de legenda!
Monte Sião

Seguindo o tour, logo estávamos atravessando a ‘fronteira’ e chegando a Monte Sião, em Minas Gerais. A cidade não faz parte do Circuíto das Águas, mas está tão pertinho (8 quilômetros),  que é quase obrigatório um passeio por aqui, ainda mais que é considerada a ‘Capital da Malha’ e também é reconhecida pela porcelana branca pintada de azul. Trabalho artesanal e belíssimo. Infelizmente, nossa viagem não permitiu compras, mas fica a super dica!

A cidade é pequenininha e repleta de lojas de malharias. Aqui o César deixa um tempo livre para compras, mas também conduz os turistas para visitar a fábrica de porcelanas.  Aliás, nos informou que este é único lugar do Brasil onde são produzidas as porcelanas brancas e azuis.

Monte Alegre do Sul

Monte Alegre do Sul é uma das menores e mais encantadoras cidades do Circuito das Águas Paulista. Suas heroicas hortências e araucárias nos remetem ao Sul do Brasil e nos fazem perceber o clima ameno.

Conhecemos o entusiasta prefeito, Edson Rodrigo, colega turismólogo, que está empenhado em preservar a qualidade de vida deste pequeno paraíso. O Prefeito também é Presidente do Circuíto das Águas e tem atuado com afinco pela promoção da região.

Aqui também é possível a prática do turismo termal , turismo religioso, turismo rural, com tranquilidade. A Igreja Nosso Senhor do Bom Jesus,  localizada na área mais central da cidadezinha, junto a uma bela praça com coreto, nos remete ao início dos anos 1900.

O Balneário Municipal e a Fonte Bom Jesus, onde a população local abastece seus galões com água mineral, foram alguns dos pontos visitados. Mas há muito mais para se ver e fazer nesta cidade. Acesse o portal  do município: https://www.montealegredosul.tur.br/  Aliás, um belíssimo site.

Paz e tranquilidade!
Nós na Fonte Bom Jesus – Monte Alegre do Sul
Balneário Municipal – Monte Alegre do Sul

 

Serra Negra

Seguindo o tour, chegamos a Serra Negra. que também possui uma Estância Turística Hidromineral. Impressiona o comércio deste município,  concentrado nas ruas centrais da cidade, com uma enorme variedade de produtos em lã e linha (malharias), vestuário e acessórios em couro.

Família Silotto

Mas nosso objetivo aqui era visitar uma pequena vinícola, localizada na rodovia SP 360. A Família Silotto elabora vinhos e destilados neste bucólico lugar.  Impressiona ver as videiras cercadas de plantas de café e cana-de açúcar. Eles elaboram a cachaça azul que tem um particular história, já que era a bebida da corte portuguesa no Brasil, especialmente elaborada para o Imperador D. Pedro (sangue azul).

Uvas, café, palmeiras e, ao lado, a cana-de-açúcar. Natureza brasileira!

Aqui, com um singelo vinho de uva bordô (lambrusca), fizemos um brinde ao Dia Mundial do Enoturismo, já que este é o foco desta vinícola e neste dia do vinho aqui estávamos!

Na foto, os novos amigos Paula e Sérgio, além da família Silotto.

Após passear por mais lugares, encerramos o dia numa cervejaria central, a Boutique da Cerveja. Eles possuem uma marca própria, mas comercializam diversas outras. Há diferentes ambientes que possibilitam a degustação de cervejas nacionais e até importadas e alguns petiscos deliciosos. Imperdível o chope da casa.

Após a degustação de cervejas, com orientação do ‘mestre’ Sérgio, saímos para uma tranquila caminhada pela cidade e nos deparamos com a estátua em homenagem ao ilustre morador, o Ronald Golias. Não tinha como não parar e bater um papo com ele, relembrando de suas tiradas cômicas.

 

 

Circuíto das Águas

Nossa passagem foi rápida e nem tudo pode ser visitado. Mas podemos indicar o site do governo do estado, que promove muito bem a região, ressaltando alguns aspectos, como a gastronomia, já que esta é a região onde se pode comer desde um leitão a pururuca até um bacalhau “servido à moda francesa em louças de porcelana portuguesa”. Adorei este hibridismo cultural!

Pela região, ainda há muitas opções de Turismo Rural. É possível visitar sítios, alambiques, degustar o famoso café caipira, cavalgar ou simplesmente caminhar. Como contam, aqui “a história do Brasil está muito bem retratada na arquitetura dos casarões e das igrejas das fazendas que no passado abrigavam sinhás e escravos! Interessante turismo rural-cultural!

Também o Turismo Aventura se faz presente, especialmente em Socorro, onde já pude estar em outra oportunidade e me encantar com o Campo dos Sonhos. Mas há muito o que se fazer por aqui, já que as operadoras oferecem mais de 20 atividades, com um diferencial que destaca especialmente este município: a acessibilidade, já que boa parte das atividades são adaptadas para atender aos deficientes físicos.

Algo que todos faziam questão de nos comentar era a qualidade do clima, que tem pouca amplitude térmica, sendo que os dias são quentes, perfeitos para aproveitar a água, e as noites têm temperaturas amenas, excelentes para um bom descanso.

Esteja atento à beleza desta região, a sua vegetação e seu relevo nos lembram muito as paisagens de Minas Gerais. É estar em São Paulo com sotaque mineiro. Uma região que oferece inúmeros segmentos de turismo, uma multiplicidade de meios de hospedagem (um vai caber no seu gosto e no seu bolso) e diversos eventos. Quem gosta de paz e descanso, vai encontrar; quem procura gastar energias e atividades físicas, também vai encontrar diversas opções.

E esse jeitinho de roça, encantador!

É só descrever o que procura que o Cesar prepara um roteiro customizado. Informe-se em http://www.agenciacurtocircuito.com.br/pr/index.php?pg=1

O guia e agente Cesar, ao centro, cercado pelo Rômulo e pelo Sérgio.

IMPORTANTEO Viajante Maduro viajou a convite do Villa di Mantova Resort Hotel. Para saber mais, clique aqui!Para saber mais sobre o Panorama Hotel & Spa, clique aqui!

A opinião aqui expressa é a nossa verdade! A autoria das fotos é de Ivane Fávero (com exceção das sinalizadas).

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos! Dentro de alguns dias vai ter sorteio de duas diárias no Villa di Mantova, pelo Instagram. Fique atento!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Tchauzinho e até logo!
Um brinde aos viajantes maduros e às novas amizades!
E que meus passos me conduzam sempre para os mais lindos caminhos. PS.: amamos ladrilho hidráulico!

Comentários