Reflexões de uma Viajante Madura

Quem me segue no Facebook, em meu perfil, vê que periodicamente eu posto uma mensagem. Obviamente, nem sempre há inspiração ou tempo para tal. Mas eu gosto mesmo é de escrever logo cedo, por volta das 7h, que é quando meu cérebro está mais desperto e limpo e é quando, em geral, eu tenho um tempo.

Apesar deste ser um site de viagens, decidi compartilhar com vocês, leitores do Viajante Maduro, já que alguns queridos amigos me estimularam e, além disso, para que não se percam no feed do Facebook. Espero que apreciem e que estas mensagens também acompanhem suas viagens!

Foto: Everson Tavares

Acreditar é preciso! Acreditar que é possível e que vai dar certo, apesar de tudo! “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez!”. Algumas vezes temos que acreditar e não ouvir nem ceder ao negativismo. E vamos em frente!

Agir é preciso! A ação deve ser consciente, não somente uma resposta às demandas cada vez mais urgentes. Isto aplica-se especialmente no setor público, onde o planejamento participativo se faz imprescindível, haja vista o impacto na comunidade que o desenvolve ou acolhe. Mas na vida de cada um também é fundamental agir com consciência e não viver ‘no automático’.  Como diz Benjamin Disraeli, “a vida é muito curta para ser pequena”.

Agitar é preciso! “É preciso agitar as massas”, sempre dizia o querido empresário do setor hoteleiro, vindo do setor alimentício (massas),  Michelon Moysés. É preciso agitar o pó que encobre a luminosidade dos dias; é preciso agitar o mofo que embota as nossas ações. Agitar e promover um sentimento mais leve e positivo, mais confiante e construtivo. E de agitar o dia com muita alegria.

Animar é preciso! Amo esta palavra, desde minhas conversas com a Profª Norma Martini Moesch, que me falou sobre sua etimologia. Animo vem do Latim animus, “alma, coragem, desejo, mente”, relacionado a anima, “ser vivo, espírito, coragem, disposição”. Animar é dar vida, dar ânimo, tornar mais vivo, entusiasmar! Assim, a vida seria mais bela e leve se todos nos animássemos, se todos, apesar das adversidades, entendêssemos o presente que é viver e que, como presente, só tem o agora como oportunidade! Assim, buscando o ânimo, viveremos com gratidão mais um dia. 

Comunicar é preciso! A comunicação invade nossos dias, faz parte de nossos fazeres e lazeres. Lembro-me do período em que só tínhamos um rádio e um jornal mensal chegando com notícias em nossa casa. Hoje a comunicação chega pelos mais diversos canais: televisão, rádio, placas, impressos diários e, principalmente, pela internet, a rede que conecta o mundo em tempo real (sim, eu ainda me surpreendo com isso!!!). O grande desafio é como aproveitar os avanços tecnológicos, sem nos escravizarmos. Além disso, como filtrar tanta informação e não nos dispersarmos no meio de tantos inputs. Filtrar, selecionar, averiguar… três verbos fundamentais nos dias atuais!

Concentrar-se é preciso! Buscar o foco, fugir das inúmeras armadilhas diárias que nos fazem dispersar a atenção.

Conhecer é preciso! “Só se ama o que se conhece e só se preserva o que se ama!” Assim é! Para preservar nossa cultura, é preciso conhecer nossa história. Infelizmente, é raro encontrar interessados na história da própria cidade e de seus antepassados. O presente sufoca a atenção e o dia-a-dia segue sua rotina de pressão. O passado se distancia e se perde na neblina do tempo. Se quisermos manter nossa história, e nossa memória, precisamos estudá-la, revivê-la, discuti-la. E assim viver mais um dia que possibilitará conhecer, amar e preservar.

Confiar é preciso! Confiar na humanidade, confiar no bem, confiar na vida! Apesar de tudo, confiar!

Compartilhar é preciso! “Dividir algo precioso com alguém”! Todos temos algo precioso para compartilhar. Se todos tivéssemos a consciência da partilha, o mundo seria mais justo e, consequentemente, um lugar melhor para se viver!

Conviver é preciso! Todos sabemos que a arte e a cultura contribuem para a promoção da saúde e da cidadania. Também sabemos que os humanos não conseguem viver isoladamente (salvo raríssimas exceções). A construção de uma sociedade onde a cultura seja fomentada, disseminada, em todas as suas formas e manifestações, é dever de todos que buscam pelo equilíbrio e felicidade de um povo.

Decidir é preciso! Desde criança assola-me o termo “livre arbítrio” provocando reflexões diferentes, em cada fase da vida. Apesar das leis dos homens, das religiões, dos governos, nós temos o poder (mais do que o direito, que algumas vezes nos é tirado) de decidir o que queremos fazer de nossa vida. Então, vivemos de decisões, erradas ou certas, que definem quem somos. Sigo uma filosofia e acredito que só com amor podemos decidir melhor. Qual a sua decisão para hoje? A minha decisão é começar o dia com alegria, cuidando um pouco de mim!
Que a sua melhor decisão seja ser feliz!

Encantar é preciso! Encantar e encantar-se! Perceber o belo e o bom ao nosso redor e no mundo. Sim, somos bombardeados, diariamente, por notícias tristes: violência, guerras, fome, preconceito… Mas, ao mesmo tempo, há uma série de lindos acontecimentos que não viram notícia, pois não “vendem”. Então, o objetivo é reeducarmos o olhar e despertarmos para o belo. Não quer dizer que sejamos alienados, não! Mas que demos importância àquilo que queremos  que continue acontecendo. Acredito no mundo e, apesar de tudo, acredito na humanidade!

Melhorar é preciso. Kaisen, a filosofia japonesa que busca a melhoria continua (hoje melhor do que ontem e amanhã melhor do que hoje), é a inspiração para as atividades do dia (e de muitos dias). Eu melhor é a busca permanente.

Orar é preciso! Acredito que todas as religiões são boas, na sua essência. O grande problema é a deturpação que foram sofrendo, ao longo dos anos, de acordo com os interesses. Assim, entendo que a oração sempre é bem-vinda e faz bem. Gosto de ver que o feminino ainda é honrado no catolicismo, graças à mãe de Jesus. Ainda que muito do preconceito que a mulher sofre tenha sido impingido pelas religiões, como forma de poder, a mãe segue sendo referência. Bem, divagações à parte, vamos orar pelo bem, pela paz e pelo amor.

Permitir é preciso! Permitir que o sol nos toque, que a chuva nos renove, que o frio nos aproxime, que o calor nos estimule. Permitir que o bom e o belo nos toque e nos comova. Permitir que a vida nos invada!

Politizar é preciso. A política foi e está sendo deturpada, em sua real função, no Brasil. A falta de competência e a corrupção, encontradas nos mais diversos níveis da administração pública, fez com que o brasileiro passasse a ter ojeriza da política. Não é sobre este entendimento que me refiro, deturpado pelos erros de muitos que assumiram cargos públicos. Falo do conceito formal ou real, onde a política seria uma atividade orientada ideologicamente para organizar a atuação de grupos em prol de um mesmo objetivo. No dia de hoje, a reflexão vem ao encontro da necessidade de tomada de decisão política para resolver, por exemplo, o problema da terra (poluição, super-população, guerras, falta de distribuição justa…), afinal, esta é a nossa casa!

Produzir é preciso! Vivemos numa sociedade que tem sua economia e sustentação baseada no consumo e na produtividade. Temos que ser cada dia mais produtivos e isso é angustiante e insustentável. O segredo é tentar atingir o ideal do “ócio criativo” descrito por Domênico De Masi. Trabalhar + aprender + divertir, ao mesmo tempo e no mesmo local.

Questionar é preciso! Desde o momento que acordei até agora inúmeros questionamentos passaram por meu cérebro, como skatistas em uma competição, velozmente e ininterruptamente, mobilizando espaços cognitivos acerca de: “qual a influência da criação do purgatório, no século XII, em nossa forma de pensar?”; “o ser humano é bom ou mau em sua essência e em que momento e em que proporção o meio em que vive e com quem convive influenciam nesta tendência?”; “estamos vivendo o super aquecimento mundial e ninguém vai mudar esta tendência, com atitudes globais?”; “quando me aposentar, deixo de ser turismóloga e passo a ser turista?” Afinal, são as perguntas que movem o mundo!

Realizar é preciso! Tenho ressaltado a importância do planejamento, da participação efetiva, da organização, mas de nada isto vale se não houver o REALIZAR! Dizem que 99% das ideias morrem nelas mesmas, pela falta de ímpeto, conhecimento, força, determinação em FAZER! É necessário muito trabalho para colocar as ideias em prática.

Renovar é preciso! Cada novo dia traz consigo a possibilidade de renovação. Renovar e preservar, o equilíbrio entre estas duas ações fazem com que a vida seja mais aprazível e estimulante!

Saborear é preciso! Saborear a vida diariamente, a cada momento. Prestar atenção nos pequenos milagres diários.

Verdade é preciso! Todos somos falíveis, erramos e acertamos, ao longo da vida. No entanto, é preciso manter a verdade, acima de tudo! Para isso, é preciso estar vigilante, ser questionador de si mesmo. Algumas vezes, o caminho da mentira é mais fácil, mas somente a verdade constrói. E da verdade vêm valores como: Honestidade, Lealdade e Sinceridade, gerando a CONFIANÇA tão necessária para relações construtivas!

Vinificar é preciso! Transformar, transmutar, decompor! Da uva, se faz o vinho (alguns acrescentarão a conjunção “também” – prefiro a pureza), sabemos. E da nossa vivência o que fazemos? De nossos problemas, o que fazemos? Do que nos dá alegria, o que fazemos? Nos apegamos a forma padrão e seguimos vivendo sem refletir sobre a possibilidade de mudar, alterar ou preservar? Gosto de perceber a natureza e ver o quanto ela nos ensina sobre a mudança. Sempre é possível!

Viver é preciso! A sociedade atual vive um momento antagônico, pois ao mesmo tempo em que criou tecnologias para diminuir o tempo e o esforço de trabalho, obtendo a mesma ou maior produtividade, trabalha mais e mais. Ocorre que o modelo atual, pautado no capitalismo, enfoca o consumismo. Cada vez temos mais necessidades e, consequentemente, temos que trabalhar mais para atendê-las. Isso faz com que passemos longe do “ócio criativo’ de De Masi e nos tornemos pessoas mais tristes e até menos afetuosas. Bem, em busca de um verdadeiro “Viver”, estou construindo uma nova postura que procura equilibrar o trabalho, com o aprendizado e o lazer, com a certeza de que precisamos pouco para sermos felizes. Ainda estou aprendendo, mas já sei que o que é importa são nossos afetos e as experiências vividas. 

Viver é preciso! Viver, não sobreviver, nem ir vivendo. Viver! Sentir os momentos, observar o movimento, emocionar-se, perceber as passagens!

Foto: Everson Tavares

Importante:

O Viajante Maduro viaja como ideal de vida e profissão.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade! As fotos são do Everson Tavares.

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Comentários