fbpx

Roteiro Diferenciado por Portugal: Algarve, Altentejo e Lisboa

Este pequeno país, equivalente à Região da Campanha Gaúcha, 1/3 ou quiçá 1/4 do estado do Rio Grande do Sul, é capaz de grandes façanhas. Não falo da força náutica, que o fez conquistar territórios Latino Americanos e Africanos, nem das estratégias pouco convencionais e geniais, que garantiram que seu reinado não fosse derrubado por Napoleão Bonaparte. Falo de momentos atuais. Sim, há 10 anos a maior parte dos brasileiros (e do mundo) não pensavam em Portugal como destino turístico, mas uma revolução foi feita, contando com recursos da União Europeia, por governos que entenderam ser o turismo a melhor forma de desenvolver o país em crise. E assim foi! Pelo terceiro ano consecutivo o país conquista o Óscar de Melhor Destino Europeu, no World Travel Awards, além de outras premiações para seus atrativos, e está entre os destinos preferidos de brasileiros e de muitos cidadãos do mundo.

 

Portugal nos encanta e nos conquista cada vez mais a cada viagem!

Bem, supomos que todos conhecemos um pouco sobre Portugal, seja por livros, músicas, descendência, quiçá pelos incríveis doces portugueses ou até mesmo pelos famosos azulejos, mas há muito mais para ser descoberto neste “cantinho à beira-mar plantado”. Neste post não nos ateremos somente à tradicional capital Lisboa ou a destinos já reconhecidos por brasileiros, como o Porto, mas sim daremos dicas para realizar um roteiro não tão convencional por esta terra riquíssima de cultura e histórias. Vamos rumo ao Sul, vivenciar o Algarve (região de fantásticas praias e paisagens) e o Alentejo (famoso por seus vinhos e gastronomia), concluindo a viagem nos arredores de Lisboa.

  • Caso queira acessar outros post sobre Portugal, clique aqui.

Iniciamos nossa viagem em Lisboa. Afinal, é aqui que pousamos e já neste primeiro momento fomos ao Centro Vasco da Gama, lugar que recomendamos visitar. Ele possui diversas lojas, restaurante e cinemas, é de fácil acesso – 10 minutos do centro da cidade e a 5 minutos do Aeroporto Internacional.

O Centro Vasco da Gama está junto ao Parque das Nações, ao longo do rio Tejo, numa faixa de 5 km, sendo que um terço da sua área são espaços verdes e infraestruturas únicas. A região foi revitalizada por ocasião da Expo 98, que tinha como tema “Os oceanos: um patrimônio para o futuro”, e o propósito de comemorar os 500 anos do Descobrimento Português.  Lá também está localizado o Oceanário, considerado como o segundo maior do mundo. O mais incrível de tudo é que todo esse espaço, de belíssima arquitetura moderna, há poucos anos era um enorme depósito de lixo. Sim, a Expo teve como objetivo revitalizar essa área degradada de Lisboa e hoje é um destino turístico, repleto de atrações, restaurantes, bares e lojas, áreas culturais, além de estação de trens.

E, claro, já iniciaremos nossas dicas por onde comer neste lugar, indicamos o Restaurante Chimarrão, onde comemos uma deliciosa garoupa. Sim, é um restaurante com ‘pegada’ brasileira. O Rômulo até se rendeu ao arroz com feijão e churrasco! Ah, tem caipirinha também. Os portugueses apreciam muito!

Garoupa
Centro Vasco da Gama

Algarve

Sugerimos iniciar este roteiro, não tão convencional para os brasileiros, pela região de Algarve, ao sul de Portugal. Durante o verão a região é bastante procurada por turistas alemães e ingleses, então indicamos visitá-la no outono e na primavera, que são os melhores períodos para visitar Portugal. De qualquer forma, já estivemos por aqui no inverno e adoramos a calmaria e o clima bem mais ameno que o restante da Europa. A região é famosa por suas praias de beleza única, um pôr do sol de tirar o fôlego e eventos valiosos que valorizam a cultura local.

O Algarve possui 16 municípios, sendo a sua capital a cidade de Faro. Praticamente todos os seus municípios possuem rica história e grande patrimônio cultural.

Algarve é uma expressão  que provém do árabe ¨al gharb¨, que significa ¨ocidente¨, “oeste”. Essa bela província portuguesa localiza-se na parte mais meridional de Portugal, com uma população de em torno de 450.000 habitantes.

É a mais importante região turística de Portugal, tem um clima temperado mediterrâneo, com invernos amenos e curtos e longos verões, secos e quentes.

As suas águas são calmas e banham a costa sul. As paisagens naturais da região são belíssimas, possuindo também um grande patrimônio histórico e etnográfico, além de uma excelente e saudável gastronomia. Isso faz com que Algarve atraia milhões de turistas portugueses e estrangeiros.

  • Saiba mais, acessando nosso post “10 motivos para visitar o Algarve”: Clique aqui.

O que fazer no Algarve

Seguindo estrada, após o almoço e breve passeio por Lisboa, nos dirigimos ao Algarve e nos estabelecemos na bela cidade de Lagoa, nas proximidades de Portimão, onde fomos recebidos pelo Vice-Prefeito da cidade, Luís Encarnação, que sempre se mostra tão hospitaleiro e interessado em promover o melhor desta encantadora cidade.

Imperdível:

Caminhar pela Praia do Vale de Centeanes, na freguesia de Carvoeiro, Lagoa, usufruindo o Percurso dos Sete Vales Suspensos, inaugurado em 2010, com 5,7 quilômetros de pontilhões, com uma vista estonteante deste mar azul (com Bandeira Azul – praia limpa);

Um passeio pela Praia da Rocha (em Portimão), considerada uma das mais belas de Portugal, banhada pelo Oceano Atlântico, excelente estrutura;

Fazer o passeio de barco pela orla, passando por Portimão e Lagoa. Sugerimos contratar a empresa Benagil Express. Prepare-se para suspirar diante das belezas naturais estonteantes, formadas pelo mar azul-esverdeado e pelas imensas formações rochosas.

Lagoa Wine Show

Indicamos planejar sua viagem para o mês de julho para poder aproveitar este belo e singelo evento. Ele acontece na área central da encantadora cidade de Lagoa, entre os dias 29 de junho e 1 de julho 2019. O ingresso é gratuito e as ruas ficam repletas de pessoas, locais e visitantes, que aproveitam para conhecer os vinhos, comer as comidas típicas vendidas nas tascas e se encantar com os músicos, especialmente de Fado, que cantam no palco ou nas janelas de prédios históricos. Mágico!

Há provas de vinhos, Wine Session, show cooking e diversas outras atrações que tornam este agradável evento tão memorável. Caso queira o copo comemorativo da data, o valor é de 3 euros. E para nos sentirmos ainda mais imersos nessa cultura portuguesa escolhemos comer bifanas, nada mais do que pão com bifes de porco, geralmente,  temperadas com mostarda ou molho picante. Nosso vinho escolhido para acompanhar as bifanas foi o vinho Dona Fátima, português mas feito por um brasileiro. Encerramos a noite com generosas doses do especial vinho Carcavelos!

Estivemos por lá nos dois dias e nos encantamos com os vinhos, a gastronomia e  as vozes fadistas, formando uma alegre energia que percorre a cidade nestes dias.

Silves

Também indicamos visitar Silves, uma pequena cidade portuguesa de telhados alaranjados sobre o rio Arada. É a terra da laranja, dos bons vinhos e das sardinhadas assadas.

E claro, visite o Castelo de Silves, um dos principais pontos turísticos da cidade, onde cada espaço é história.

O Castelo é do período islâmico, século VIII, quando ocorreu a invasão muçulmana da Península Ibérica, e por este motivo o nome da rota é Al Mutamid, é um dos monumentos mais conservados de Algarve.

Visitamos o interior, sendo recebidos pela estátua de Sancho I, e nos encantamos com a arquitetura histórica e a paisagem com a cidade ao fundo.

  • Dias e horários: abre todos os dias, no inverno das 9h às 17h 30min e no verão das 9h às 19h.
  • Você pode alugar um carro clicando aqui.

E das coisas que precisam ser registradas: em um desses passeios acabamos por entrar em uma Igreja onde estava acontecendo um casamento, ficamos encantados com a tradição e por essa razão salientamos a todos viajantes que não se prendam ao ‘de sempre’, desbravem novos lugares, passeiem pelas ruelas, cada esquina traz novos ensinamentos e nós amamos este.

Onde comer em Algarve

Pastelaria & Padaria Crocante, tradicional padaria (eles chamam de pastelaria) de Lagoa. Ideal para um café da manhã, um lanche ou para matar o desejo dos maravilhosos doces portugueses.

Restaurante Rei das Praias, desde 1976, com uma vista encantadora e os melhores frutos do mar. Uma entrada que amamos foi a ameijoas. Também adoramos a cataplana.

Ameijoas
Cataplana

Para um almoço respeitando as tradições, sugerimos ir nas famosas “Tascas” portuguesas, restaurante simples com comida local saborosíssima. A primavera é período de sardinhas, assim pedimos este prato típico do Algarve. Uma delícia!

 

Dicas e Curiosidades
  • Curiosidade: no Brasil o que chamamos de adega, em Portugal é garrafeira, ou seja, local onde se guardam as garrafas de vinho.
  • Compartilhando algo que aprecio muito fazer em viagens, e já recomendando, vá a mercados locais, sempre há produtos que valem a pena serem levados, na mala, para casa.
  • Aliás, foi nesta região que os queridos amigos de viagem, Deborah e Aldemir Dadalt, nos contemplaram com uma deliciosa paella de frutos do mar. Tudo foi adquirido nos bons supermercados de Lagoa. Nos deliciamos!
  • José e Susana foram os responsáveis pelos vinhos degustados, sempre nos apresentando as melhores opções das centenas de uvas autóctones de Portugal. Excelentes descobertas! A dica é: em cada dia, prove vinhos de castas diferenciadas, que você ainda não provou, e se encante com as descobertas. Há muito, muito além do Cabernet Sauvignon, Chardonnay e Pinot Noir…

 

Alentejo

Uma das regiões que mais nos encanta. Nos identificamos e amamos este lugar pois é a terra do azeite de oliva, do pão/trigo e, claro, do vinho! Tem como não ser mais nossa cara esse lugar?

Sim, o Alentejo é uma das maiores regiões vinícolas do país, com 22 mil hectares de vinhas, divididas em 8 Denominações de Origem – DOC: Reguengos, Borba, Redondo, Vidigueira, Évora, Granja-amareleja, Portalegre e Moura. As principais castas alentejanas são: as brancas Antão Vaz, Arinto, Fernão Pires e Roupeiro e as tintas Alfrocheiro, Alicante Bouschet, Aragonez, Trincadeira, Castelão, entre outras.

Outra peculiaridade deste lugar é a imensidão da paisagem, já que é de planícies, e o charme das casas brancas, com telhados de telha, que criam uma paisagem encantadora, verdejante nos meses mais frios e dourada nos quentes meses de verão.

O que fazer nesta região

Sugerimos iniciar (partindo do Algarve) pelo município de Vidigueira, terra do vinho de talha, de farta e saborosa gastronomia e de patrimônios histórico e culturais. Mas indicamos se hospedar em Reguengos de Monsaraz, lugar que conquistou até a cantora Madonna. E a nós também!

Imperdível:

Vinícola Quinta do Quetzal,  de proprietários holandeses que se encantaram com este território, propício para a elaboração de grandes vinhos, e que são aficionados por arte. Aqui eles oferecem programas enoturísticos diversos, com visita à vinícola, piqueniques no alto da colina, acompanhamento da vindima, exposições de arte moderna e, ainda, a possibilidade de almoçar no belo restaurante, que possui um grande terraço e azulejos com o pássaro que dá nome à vinícola, o Quetzal, formando um painel inebriante.

Onde comer

Sem hesitar recomendamos a adega e restaurante O País das Uvas, em Vila Frades – Vidigueira, capital do vinho de Talha, a 1 km de Vidigueira. Prepare-se para encontrar mais do que um simples restaurante: recentemente, visando ampliar o lugar e fazendo uma reforma em uma das peças do restaurante, os proprietários descobriram uma antiga vinícola que produzia vinhos de talha, em um verdadeiro trabalho arqueológico. Imperdível!

“Não é apenas uma adega nem é apenas um restaurante. É uma poderosa aliança entre o vinho do produtor e a gastronomia mais autêntica do Alentejo.”

Citação O País das Uvas

O mais fantástico é que o vinho consumido neste restaurante é feito em antigas Talhas Mouriscas. Aqui aprende-se  mais sobre as etapas de produção deste emblemático vinho, no Brasil também denominado de Vinho Laranja.

De sabor indescritível, o Cozido de Grão, alimento tradicional da culinária de Portugal, foi o prato escolhido e harmoniza muito bem com o vinho de talha.

A história contada pela proprietária e cozinheira Jacinta é que os trabalhadores da época precisavam de muita força para trabalhar arduamente durante 8 horas por dias e, por isso, ele começaram a juntar os ingredientes que dessem sustância, em panelas de barro, para poder suportar as jornadas diárias. Veja no Instagram o IGTV que fizemos sobre este relato.

 

  • Caso queira acessar outros post sobre Portugal, clique aqui.

 

Cozido de Grão

Reguengos de Monsaraz

Ainda no Alentejo, no seu coração, escolhemos esta cidade para nos hospedar. Aqui possuímos ricos amigos que nos apresentaram o melhor desta região.

A cidade foi eleita, em 2015, “Cidade Europeia do Vinho”, e se destaca pela atuante gestão de seu Prefeito José Calixto, que nos recebeu e contou um pouco mais sobre as grandes obras que foram realizadas desde nossa última visita, em 2017 e 2018, como a praia artificial, considerada uma das mais acessíveis da Europa.

 

O que fazer

Castelo de Monsaraz

Uma vila medieval,  localizada no topo da colina, quase na divisa com a Espanha. com suas ruelas de pedra, casas brancas e traçado original, toda murada e com um castelo. Este cenário é um dos mais marcantes que já vimos!

O Castelo possui uma arquitetura militar, sua origem. Mas, por volta do ano de 1830, em decorrência da desativação das funções militares, a antiga praça de armas do castelo passou a servir de ‘praça dos touros’, hoje durante as festas locais, em honra ao Nosso Senhor Jesus dos Passos, ocorre uma tourada tradicional anual. Não aprecio, então sempre o visito em outros períodos e me delicio com a vista do alto de suas torres.

É um ponto turístico único, há um dos mais esplêndidos mirantes sobre o Espelho de Água da Barragem de Alqueva, o maior lago artificial da Europa e uma das maiores obras portuguesas.

Hoje este local é considerado um Monumento Nacional.

Além da rica história, o Castelo nos presenteia com uma vista estupenda do pôr-do-sol. E ainda, como peculiaridade local, nas paredes de fora das casas possuem exposições de quadros. É incrível observar e viver essa cultura onde a arte e o turismo de experiência estão cada vez mais presentes.

 

Barragem de Alqueva

É uma barragem artificial, situada no rio Guadiana, em território português e espanhol. A construção desta barragem permitiu a criação do maior reservatório artificial de água da Europa Ocidental, também chamado de Grande Lago.

 

Lago de Alqueva e Praia Fluvial de Monsaraz

?????????????A Praia Fluvial de Monsaraz situa-se no Centro Náutico de Monsaraz, maior praia artificial da Europa, com acessibilidade e estrutura completa, com gramado e areia, tendas, espaços para massagem, bar e restaurante.

Daqui partimos para um passeio de barco pela barragem artificial na represa do Alqueva, com a Alqueva Cruzeiros que possui barcos com excelente estrutura, equipe cordial, além de outras opções mais radicais de passeio.

Neste passeio de barco, paramos para conhecer a Ilha Dourada. Uma ilha natural, deserta, com uma areia que possui mica, parecendo purpurina. Mágico!

Dark Sky Alqueva

Aqui o céu foi considerado pela UNESCO uma reserva para observação de estrelas. À noite, as luzes públicas são reduzidas ao mínimo, para possibilitar as condições perfeitas para ver o céu. A observação acontece de terça-feira a sábado, com marcação prévia, tendo em conta as fases da lua e o mês do ano para o tipo de observação pretendida, as condições meteorológicas e a disponibilidade da agenda do observatório para o horário requerido. A atividade inicia com uma viagem guiada pela exposição de astrofotografia da Reserva Dark Sky Alqueva. Em seguida, no exterior do observatório, é “explorada a esfera celeste à vista desarmada”, acompanhada de observações com binóculos e telescópios de elevada qualidade.

O custo da Observação Nocturna é de 20€ por adulto, 10€ por crianças 8-12 anos, menores de 8 anos não pagam.

 

Herdade do Esporão

Adoramos esta vinícola, desde a primeira visita. Considerada uma das melhores visitas enoturísticas da Europa, por aliar o reconhecimento de seu patrimônio (que inclui sítio arqueológico) com a ecologia e natureza, bem como a melhor exploração das vinhas e gastronomia.

Situada no coração do Alentejo, em Reguengos de Monsaraz, a Herdade apresenta condições únicas para a agricultura – grandes amplitudes térmicas, solos pobres e variados e uma extraordinária biodiversidade que nos ajuda a produzir em equilíbrio com o meio ambiente. Com cerca de 702 ha de vinhasolivais e outras culturas potenciadas pelo Modo de Produção Biológico. Neste território estão plantadas cerca de 40 castas, 4 variedades de azeitona, pomares e hortas.

A Herdade do Esporão já foi eleita na categoria “Enoturismo do Ano”, em premiação realizada pela Revista Wine. Há quase 20 anos recebe turistas em sua propriedade de 1.800 ha (sendo 450 ha de vinhedos), aberta todos os dias. As experiências são diversas: diferentes tipos de degustação (vinhos de barrica, premium, etc), piqueniques, almoços harmonizados, passeio de balão, de bicicleta, entre outros.

Nos encantamos ainda mais ao saber que os vinhos são orgânicos. São 189 castas plantadas para testes e 37 sendo vinificadas, produzindo 23 vinhos diferentes.  Eles também possuem olivais e produzem 6 tipos de azeites.

 

Carmim – Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz

Uma grande cooperativa, com mais de 1.000 associados, sendo 600 viticultores que correspondem a 3.600 hectares de vinha. É possível visitar a vinícola e fazer uma degustação de seus produtos que possuem ótima relação custo x benefício.

 

Cante Alentejano

Esperamos que tenham a oportunidade de assistir a uma apresentação do Cante Alentejano, considerado Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco, desde 2014. São grupos de homens e mulheres (geralmente somente homens e sem acompanhamento de instrumentos musicais), que cantam músicas que falam de sentimentos e momentos do quotidiano. Cada vez que ouvimos nos emocionamos. É lindo!

 

Onde se Hospedar

Recomendamos o Hotel Solar da Alqueva, já ficamos neste mesmo hotel em outras viagens e sempre voltamos.

Se estás disposto a gastar um pouco mais, ou melhor, bem mais, sugerimos o fantástico  Herdade São Lourenço do Barrocal, lugar de descanso, de uma simplicidade elegante, de espaços e histórias. Sim, são 780 hectares de área onde está o complexo enoturístico, composto de vinhedos, vinícola, restaurantes e hotel cinco estrelas, com uma proposta de ‘receber amigos em casa’, num ambiente de elegante simplicidade. Para quem não for se hospedar por aqui, indicamos uma visita. O custo é de EU 18,00, incluindo uma degustação.

 

Onde Comer

Fomos e indicamos o Restaurante Taberna al Andaluz que tem uma culinária local deliciosa e oferece uma experiência enogastronômica inesquecível. Apreciamos a açorda de tomate com bacalhau, prato típico deste restaurante. Atente para as imagens das paredes (de touradas), que nos remetem a um cenário da Espanha, ou melhor, Ibérico, como se auto denomina o proprietário José Manuel, que é devoto da N. Sra do Rocio, também representada no local por imagens.

 

A Dona Isabel é quem nos recebe no restaurante Sabores de Monsaraz. Encantador espaço, tradicional, com bela vista, desde a Villa de Monsaraz, até o lago do Alqueva. Reserve com antecedência. Imperdível!

 

Também indicamos o Restaurante Taverna os Templários, localizados no Castelo de Monsaraz. A vista é linda e os pratos são deliciosos. Entre as especialidades, destacam-se: Chambão à Chefe, Borrego assado, Bacalhau com espinafres e camarão, pratos regionais diversos.

 

Para uma experiência mais autêntica, vá ao Restaurante Adega Cachete, um ambiente mais rústico, com pratos regionais, cozidos em forno à lenha, como o bacalhau com espargos e cogumelos.

 

Já fomos várias vezes e sempre queremos voltar no Restaurante Moira, um ambiente informal, onde somos muito bem servidos. Pratos regionais, com entradas e sobremesas espetaculares.

 

Dicas e curiosidades
  • Em outras viagens já visitamos Évora e Elvas, com seus centros históricos classificados como Patrimônio Mundial pela Unesco. Visita imperdível!
  • Em Évora, não deixe de conhecer a Fundação Eugênio de Almeida – Vinhos Cartuxa, instalado na antiga casa de repouso dos Jesuítas. Aqui é possível degustar e adquirir o famoso vinho Pera Manca! As visitas com degustação possuem 4 modalidades que vão de EU5,00 até EU20,00 por pessoa.
  • No Alentejo você ainda pode conhecer, se estiver disposto a gastar mais para uma experiência top, o complexo enoturístico L’and Vineyards, com um aldeamento 5 estrelas, contendo 22 suítes e 40 residências.
Fundação Eugênio de Almeida – Vinhos Cartuxa
Fundação Eugênio de Almeida – Vinhos Cartuxa
Évora
L’and Vineyards
L’and Vineyards
L’and Vineyards

Lisboa

Nesta viagem nos hospedamos em Torres Vedras, localizada a uns 30 minutos da Capital, mas ainda na região de Lisboa. A cidade, juntamente com a vizinha Alenquer, foram consideradas “Cidades Europeias do Vinho” em 2018 e são consideradas as mais tradicionais zonas vitícolas de Portugal.

 

Torres Vedras

A Vinha

Foram chuvas, sol e sachos,

Foram milhentas canseiras

para as uvas serem cachos

e haver vida nas videiras.

E haver vides e gavinhas,

haver parras nas parreiras,

estacas encosta acima…

Caminhos de vinho, as vinhas:

Vira de mãos vidareiras

em boa-vinda à vindima.

Foram balsas no lagar.

Hoje às provas me renovo,

e acaso, enfim, por cantar:

– vinho velho! vinho novo!

Rodrigo Emílio. Dionisíaca

A poesia que destacamos acima apresenta bem Torres Vedras, maior município do distrito de Lisboa. Terra de muitos vinhedos e excelentes vinhos. Terra do ‘pastel de feijão’, doce típico do lugar, feito com feijões, ovos e açúcar e envolto em fina massa crocante. Delicioso!

Muitos brasileiros moram nesta cidade, por estar localizada a 50 quilômetros de Lisboa, com um clima ameno e boa estrutura urbana. Nós mesmos pensamos que essa seria uma de nossas escolhas para, quem sabe em algum dia, morarmos.

 

O que fazer

Percorrer o roteiro da antiga Linha das Torres Vedras, com o Forte São Vicente, situado no topo de uma das mais elevadas colinas do município. O Forte começou a ser construído em 1809 e servia de defesa para a mais importante estrada que ligava Lisboa a Coimbra, sendo então um dos pontos mais fortificados das Linhas de Torres Vedras.

Para defender o País da terceira invasão Napoleónica (1810), a estratégia de Wellington consistiu na construção de um campo entrincheirado, entre o Tejo e o Atlântico, que defendesse, por terra, a península de Lisboa, aproveitando as características acidentadas do território.

Passear pelo Centro Histórico também é muito agradável. Aqui ficamos para participar do Congresso Europeu de Enoturismo. Mas vale somente pela contemplação dos prédios históricos e suas ruelas.

Imperdível um passeio pela Praia de Santa Cruz. Aqui conheça a Azenha de Santa Cruz, edificada nos finais do século XV, e classificada como edifício de interesse público em 1997 pelo IPPAR, é hoje um Centro Interpretativo ligado à temática da moagem do cereal e do fabrico do pão. A praia é bem estruturada e possui ótimos hotéis e restaurantes.

Não poderíamos deixar de indicar suas inúmeras vinícolas. A região possui Denominação de Origem Controlada – DOC há cerca de 30 anos e as vinhas cobrem o território do município. Aqui se encontra a famosa uva “Pera Rocha”, mas gostei muito do Antão Vaz (branco) aqui elaborado. Visitamos a Quinta da Folgorosa, onde fizemos uma visita guiada e degustação dos vinhos. Valeu muito comprar 3 garrafas e trazer para casa vinhos de EU 9,00.

Esta cidade é famosa por seus eventos. O Carnaval é super recomendado por amigos que o vivenciaram, por exemplo. Em outubro há um Festival Internacional de Acordeões. Estivemos lá em pleno período da Feira de São Pedro e pudemos observar o quão querida é pelos seus moradores.

 

Onde ficar

Torres Vedras possui excelentes hotéis, indicamos ficar no Dolce Campo Real, lugar amplo, com casas, apartamentos e restaurantes, além de piscinas e linda vista, num ambiente tranquilo.

Também visitamos outros hotéis, que possuem diárias um pouco mais elevadas, mas são magníficos, cada um em seu estilo: Areias do Seixo e Noah Surf House Portugal.

Dolce Campo Real
Areias do Seixo
Areias do Seixo
Areias do Seixo
Areias do Seixo
Areias do Seixo
Areias do Seixo
Areias do Seixo
Onde Comer

Adoramos a proposta do Restaurante Roots, em Torres Vedras. Ele fica localizado no Parque Verde da Várzea, na área mais urbana da cidade. Do pão à sobremesa, tudo divino! O Filé Wellington homenageia o herói militar e foi uma excelente dica.

 

Cascais

Na região de Lisboa vivemos uma experiência incrível! Fomos convidados para participar do XV Capítulo da Confraria Enófila do Vinho de Carcavelos.
Um momento ímpar desta viagem foi ter participado desta solenidade! Além da intronização de novos membros, pudemos contemplar a sinergia e parceria entre as várias confrarias enófilas ou gastronômicas de Portugal que desfilavam toda sua beca e simpatia, além do acolhimento a estes viajantes maduros interessados.

 

Lisboa

Não deixamos de passar por Lisboa, claro. E aproveitamos para dar algumas dicas.

 

Onde Comer em Lisboa

Um amigo de amigos nos indicou o Restaurante Bairro do Avillez, localizado em pleno Chiado, na Rua Nova da Trindade, em Lisboa. O espaço amplo possui uma mercearia, logo na entrada, uma taberna, um pátio e um restaurante mais requintado. Comi um atum saborosíssimo! O espaço está aberto diariamente, das 12 às 24 h. E saiba “O mundo de José Avillez não cabe numa só morada, é todo um universo dedicado à criatividade“.

 

Dicas:

Se for para Portugal e quiser passear por lugares tão bacanas quanto estes, sem se preocupar em dirigir ou fazer reservas, contate e contrate a agência By Portugal Tours, da Patrícia e do Norberto Cerutti, um casal de brasileiros (ela é sobrinha do Rômulo) que moram nos arredores de Lisboa e fazem tours inusitados por Portugal.

Se desejar aprender mais sobre os vinhos portugueses e fazer um curso bacana, indicamos a Andressa Noitel, brasileira que vive no Algarve, sommelier internacional pela WSET, que tem um site com um nome que denota sua ligação (também) com a Itália: piccolamadame.com.br

Noutra oportunidade vamos falar das regiões do Douro, Porto e Bairrada.

 

Praia da Rocha (em Portimão)

 

Importante:

O Viajante Maduro viaja como ideal de vida e profissão.

Ivane veste Exigent.

Esta matéria contou com a colaboração da futura publicitária Lúcia Fávero Moraes.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade!

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Comentários