Um Final de Semana Diferenciado em Pinto Bandeira – Serra Gaúcha

A Serra Gaúcha oferece muitas possibilidades de vivências  de turismo. Uma opção diferenciada, para curtir um final de semana, é o pequeno e charmoso município de Pinto Bandeira. Destino para quem busca tranquilidade e autenticidade, num ambiente naturalmente elegante. Neste inverno estivemos por lá, no mês de junho, de sexta-feira a domingo, e contaremos tudo aqui, neste detalhado post sobre Pinto Bandeira. Dentro de algum tempo, publicaremos as experiências vividas em alguns empreendimentos que nos acolheram com tanta hospitalidade e que valem ser referenciados mais de uma vez. Vamos começar pela história e descrição do novo município e, depois, apresentaremos os atrativos turísticos, com foco na oferta enoturística, além de falar dos excelentes restaurantes e das boas pousadas. E, sim, há o que fazer num final de semana inteiro por aqui, mas, se desejar ficar mais tempo, curta também os Caminhos de Pedra, em Bento Gonçalves, que se localiza logo ao lado de Pinto Bandeira, ou se aventure pelos municípios da região.

Paisagem de Pinto Bandeira, desde a Vinícola Valmarino.

Pinto Bandeira: município dos espumantes, pêssegos e rosas

Pinto Bandeira é um município da Serra Gaúcha localizado a 138 km de distância de Porto Alegre e  que compreende cerca de 105 km²  de área situada entre os vales dos rios Burati e das Antas. A densa mata mesclada às lavouras agrícolas de uva e pêssego, adornadas pelas singelas roseiras, é o que compõe  as paisagens dessa pequena cidade.  De acordo com estimativas do IBGE de 2017, Pinto Bandeira possui 2.847 mil habitantes. Antigo distrito de Bento Gonçalves, é município emancipado desde 2013.  Foi desbravado e colonizado pela imigração italiana na Serra Gaúcha.

Geada no amanhecer de Pinto Bandeira.

Atualmente, a cidade é conhecida pela exuberância das paisagens naturais e oferece experiências turísticas únicas na romântica Serra Gaúcha. Também detém o título de Capital Brasileira do Pêssego, fruta que, junto com a uva, é amplamente cultivada na região.

Vinhedos cobertos pela geada. Inverno na Pousada Don Giovanni, Pinto Bandeira.

História

A imigração italiana ao Sul do Brasil fez parte do intenso movimento migratório europeu ao território americano no final do século XIX e início do século XX. Com os impostos elevados e a alta taxa de desemprego, os italianos viram no Brasil uma oportunidade de construir uma vida melhor. No Rio Grande do Sul, a maior parte do território era desabitado e o Governo necessitava de mão de obra para substituir a recém-abolida força de trabalho escrava. Assim, deu-se o início da imigração italiana na região Sul.

Os italianos imigrantes saíam do Porto de Gênova, no norte da Itália e, em pouco mais de um mês em navios sobrecarregados, desembarcavam no Rio de Janeiro. Após a quarentena na Casa dos Imigrantes, viajavam de trem até Porto Alegre, onde eram alojados em habitações precárias. Da região da capital, anteriormente ocupada por portugueses e alemães, seguiam até a serra em busca de espaço para morar, cultivar e criar os filhos. Em significativa menor quantidade, a Serra Gaúcha também recebeu a imigração de outros países europeus – como a Suécia e a Polônia.

Foi no ano de 1876 que se instalou o primeiro grupo de imigrantes na área de Pinto Bandeira. Deram início ao árduo trabalho de construir casas e realizar plantios em uma área tomada pela mata densa e fechada.  Até o ano de 1880, outras famílias ocuparam as terras localizadas na Linha Jansen, na Linha Jacinto e na Linha Silva Pinto – atualmente denominada Linha Anunciata. O distrito foi denominado Silva Pinto, nome posteriormente alterado para Nova Pompeia. Carregou a denominação em homenagem à cidade italiana de Pompeia até 1938, quando, às vésperas da Segunda Guerra Mundial foi proibida a utilização do idioma italiano no nosso país. Em homenagem ao militar rio-grandense Rafael Pinto Bandeira,  passou então a se denominar Pinto Bandeira.

Praça central de Pinto Bandeira.

 

Conhecendo Pinto Bandeira

 A visita ao município deve ser iniciada pelo centro da cidade, onde estão a Praça da Matriz e os espaços religiosos. A devoção e a fé sempre foi um aspecto muito presente na vida dos imigrantes que habitaram a região, e esta importância é simbolizada pelo belo Santuário Mariano e pela Sala de Promessas. Na mesma área, vale a observação da estátua construída em homenagem ao agricultor, profissão alicerce do desenvolvimento da cidade.

 

Símbolos da Fé

O Santuário Nossa Senhora do Rosário de Pompeia teve sua pedra fundamental lançada no dia 8 de maio de 1899. Após três anos de mobilização da comunidade na construção do novo templo, no dia 7 de maio de 1902 foi realizado o primeiro culto e, no dia seguinte, realizou-se a bênção solene da construção e uma procissão, onde se transportou o quadro de Nossa Senhora do Rosário de Pompeia. Estiveram presentes cerca de 6 mil pessoas na ocasião histórica e aconteceram pregações em italiano, português e polonês no santuário.

Em 1947, o Pe. Justino Mariotto, à época pároco do santuário, encomendou a planta da torre do sino, inaugurada em 1949. Essa obra monumental, que harmoniza com o estilo romano-renascentista do Santuário, oferece um maravilhoso conjunto que  realça a beleza panorâmica do lugar e apregoa a religiosidade do povo.

Inaugurada em 13 de outubro de 2013, a Sala de Promessas é a continuidade do santuário, onde cada devoto pode expressar de maneira singela sua gratidão por todos os benefícios e graças recebidas, e manifestar seu louvor à Virgem Maria, sob o título de Nossa Senhora do Rosário de Pompeia.

 

Quadro Nossa Senhora do Rosário de Pompeia

No ano de 1897, vindo da Itália, estabeleceu-se no  o padre diocesano Luiz Segale com o firme propósito de propagar a devoção mariana. Chegou a Porto Alegre em 3 de outubro com o quadro de Nossa Senhora do Rosário de Pompeia (fac-símile), cópia do original que se venerava em Pompeia, na Itália. Em dez de outubro, ainda em Porto Alegre, foi bento e no dia 16 deste mesmo mês, seguiu com Pe. Segale até Pinto Bandeira.  No dia 24 de outubro de 1897, o quadro é exposto à veneração pública na antiga igreja e inicia-se a propagação da devoção ao Santo Rosário.

 

Igreja da Comunidade Anunciata

Próximo ao centro há outra preciosidade, ligada à formação religiosa da comunidade. O berço do Santuário hoje existente inicia na Comunidade Anunciata. Lá encontra-se uma réplica da primeira capela de pedra que foi construída em 1882.  Por ocasião do centenário (1882-1982) a réplica foi erguida. Na pequena capela há duas inscrições que chamam a atenção:  “D.O.M.”, cujo significado seria ‘Deus Optinum Maximum’ e, logo abaixo,  “In onore B.M.V. ” que significa, ‘Em honra à Beatíssima Virgem Maria’. Ao lado da réplica há uma igreja construída, em alvenaria, no ano 1922.  Todas as famílias da comunidade auxiliaram na construção e o terreno foi doado pela família Santolin.

Enoturismo

Pinto Bandeira tem destaque internacional quando o assunto é vinho, especialmente espumantes,  de qualidade e enoturismo.

A produção artesanal de vinhos na região data de 1880. Desde então, virou tradição passada de pai para filho e considerada um culto à memória dos antepassados italianos. Além disso, as belas paisagens do município e região foram fundamentais para que hoje o município seja considerado um destino enoturístico inigualável.

A Associação dos Produtores de Vinhos de Pinto Bandeira (Asprovinho) foi criada em 29 de junho de 2001 com o objetivo de preservar e valorizar os vinhos e espumantes produzidos no local. A entidade foi essencial no trabalho de garantir que, desde 2010, Pinto Bandeira se tornasse um dos quatro municípios do Rio Grande do Sul com Indicação de Procedência (IP) do vinho. A certificação é concedida pelo INPI e serve para conferir reputação, valor e identidade ao produto. Atualmente, conta com seis vinícolas associadas.

Os vinhos indicados agregam características únicas da geografia e dos modos de produção local. São elaborados exclusivamente com oito variedades autorizadas como procedentes da área geográfica delimitada, a partir de padrões de identidade e qualidade – estes são controlados pelo Conselho Regulador da Indicação de Procedência.

Os produtos e variedades autorizados são:

  • Vinho Espumante Fino – exclusivamente pelo método tradicional: Chardonnay, Pinot Noir, Riesling Itálico, Viognier.
  • Vinho Fino Tinto Seco: Cabernet Franc, Merlot, Cabernet Sauvignon, Pinot Noir, Tannat, Pinotage, Ancellotta, Sangiovese.
  • Vinho Fino Branco Seco: Chardonnay, Riesling Itálico, Moscato Branco, Moscato Giallo, Trebbiano, Malvasia Bianca, Malvasia de Candia, Sémillon, Peverella, Viognier, Sauvignon Blanc, Gewurztraminer.
  • Vinho Moscatel Espumante: Moscato Branco, Moscato Giallo, Moscatel Nazareno, Moscato de Alexandria, Malvasia de Candia, Malvasia Bianca.
Vinhedos da Vinícola Don Giovanni, numa manhã de geada (Inverno 2018).

E a história não acaba aí. O município será o primeiro da América a conferir Denominação de Origem (D.O.) a espumantes. A certificação irá abranger espumantes produzidos pelo método tradicional (champenoise) com pelo menos 18 meses de maturação, a partir de três variedades – Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico. Todas cultivadas em espaldeira/plantio vertical. Vamos apresentar as vinícolas que fazem parte da Asprovinho:

 

Vinícola Don Giovanni

A vinícola Don Giovanni é um ícone da região, não só pela qualidade de seus produtos, mas também pelas lindas instalações junto à Pousada, pela história da família (pioneirismo dos Dreher na vitivinicultura e no enoturismo do Brasil) e pelo trabalho com os vinhedos de forma sustentável, reduzindo ao máximo o uso de defensivos e introduzindo a produção biodinâmica. Respeito à natureza e aos seres que vivem nesse lindo lugar.

Em 17 hectares de vinhedos, priorizam as variedades mais adaptadas: chardonnay, pinot noir, merlot e cabernet franc, o que se traduz em excelentes vinhos e espumantes,  além dos brandys, elaborados, envelhecidos e comercializados na bela loja da vinícola, repleta de obras de arte.

A vinícola está estabelecida, desde 1981 (quando adquiriram a área), no lugar onde havia funcionado uma estação experimental da extinta empresa Dreher. O casal Ayrton Giovannini e Beatriz Dreher Giovannini (Bita) seguem injetando seu amor e energia ao projeto da vinícola, pousada e restaurante, além dos vinhedos, mas a empresa é hoje gerenciada pelo Daniel Panizzi, genro do casal, que nos recebeu com a costumeira atenção e hospitalidade.

O enoturista deve agendar sua visita pelo site da vinícola, escolhendo entre as opções: visita aos vinhedos, visita técnica, visita turística ou degustação premium. A Don Giovanni ainda oferece uma sala de cursos, onde grupos podem agendar uma vivência mais profunda de aprendizado enológico.

Um dos pontos fortes da experiência enoturística oferecida pela Don Giovanni é a vivência do Pôr do Sol. É possível agendar esta experiência incrível, onde o enoturista é convidado a visitar os vinhedos e, no entardecer, degustar um vinho e um espumante admirando as tonalidades distintas que se formam no céu.

Daniel iniciando o serviço para a degustação no pôr do sol da Don Giovanni. Estava muuuuuito frio!

A vinícola está localizada na Linha Amadeo, km 12. O telefone para contato é (54) 3455-6294. Mais informações, clique aqui.

 

Vinícola Valmarino

 A Vinícola Valmarino foi fundada em 1997 pelo enólogo Orval Salton, membro da terceira geração da família Salton, que preservou a tradição de cultivo e elaboração de vinhos desde a chegada do patriarca da família em Bento Gonçalves, no ano de 1878. O nome da vinícola é uma homenagem aos antepassados imigrantes provenientes da comuna italiana Cison di Valmarino, localizada na região do Vêneto.

A encantadora paisagem e o atendimento exclusivo fazem da visita ao local, imperdível. Seus vinhos finos e espumantes de qualidade reconhecida fazem com que muitos enoturistas se desloquem para conhecer de perto o lugar onde são elaborados os produtos. A casa, de arquitetura tradicional, é rodeada de 16 hectares de vinhedos em uma altitude média de 700 metros que dão origem a produtos premiados nacional e internacionalmente.

A Valmarino cultiva atualmente 20 ha de vinhedos com 14 variedades viníferas diferentes e elabora 200 mil litros de vinhos finos e espumantes comercializados em duas marcas. A linha Valmarino para vinhos e espumantes diferenciados  que apresentam uma maior complexidade de sabores e com bom potencial de guarda. E a linha Tre  Fradéi composta por produtos mais frescos e frutados, sendo ideais ao consumo diário.
A visitação na Valmarino compreende uma degustação orientada ao qual o turista pode optar por degustar produtos distintos ou em sequência determinada pela carta de degustação.  De acordo com o clima e a estação do ano, a sequência da degustação poderá ser alterada para uma melhor percepção de sabores, aromas e características de cada vinho e espumante harmonizados pelo fator local e o contato com a natureza. Existe, ainda, a possibilidade de se realizar uma visita técnica aos vinhedos localizados em frente à vinícola e às instalações de produção, conforme agendamento prévio. Esta visita e degustação geralmente é acompanhada pelos proprietários ou pelo enólogo da empresa, de acordo com a sua disponibilidade.
A vinícola utiliza o slogan “Paixão pelo Vinho”, desde a sua fundação, o que demostra que o empreendimento  familiar é movido pela dedicação, paixão e prazer na  busca da excelência.
A Vinícola Valmarino está aberta diariamente, recebendo os enoturistas, das 8 às 18h, de segunda  a sexta-feira, e das 9 às 17h,  nos domingos e feriados. Sugere-se o agendamento para melhor atendimento.
Consulte mais informações para visitação e degustação em:
WhatsApp: 54 99615 4882
Fone: 54 3455 7474
Facebook: Vinícola Valmarino (https://www.facebook.com/vinicolavalmarino/)
Instagram: @vinicolavalmarino (https://www.instagram.com/vinicolavalmarino/)

A vinícola está localizada na Linha Jacinto Sul, Lote Rural 1.

 

Vinícola Terraças

 É a principal referência da região ao tratar de suco de uva. Especializada na bebida, é destino agradável e recomendado para famílias com crianças. A visita à intimista e aconchegante propriedade familiar tem um toque especial pela  paisagem estonteante ao redor e conta com degustação de diversos tipos de suco.  Além disso, conta com a explicação sobre a produção do que é considerada a expressão máxima da uva, impressiona.

A Vinícola Terraças está localizada na Linha Jansen, KM 4, na Estrada de Pinto Bandeira. O telefone para contato é (54) 3455-6214 ou montanhadovale@gmail.com

 

Cave Geisse

Nem todos sabem, mas a tímida cidade de Pinto Bandeira conta com um local ícone da enologia brasileira. A Cave Geisse foi fundada em 1976 pelo enólogo chileno Mario Geisse, que chegou à região como representante da Moet & Chandon e viu no pequeno distrito enorme potencial para a elaboração de espumantes únicos e de altíssima qualidade. Na região, Mário também foi pioneiro ao renunciar ao sistema de produção latada e dar início ao cultivo por espadeiras altas, método de plantio hoje reconhecido por proporcionar qualidade ímpar ao produto final. Atualmente, a Cave Geisse é uma das vinícola que encabeça o projeto de Denominação de Origem (D.O.) para espumantes – o primeiro do Novo Mundo.

Além dos vinhos e espumantes de excelente qualidade vencedores de premiações ao redor do mundo, a vinícola oferece experiências enoturísticas que vão muito além do roteiro “visita-degustação”. A visitação impressiona pela variedade de opções e sofisticação dos produtos apresentados.

Visitação + Degustação

São três opções de degustações de espumantes e uma de vinho. Todas incluem a visitação interna, onde o turista conhece o processo de elaboração de espumante e de vinho pelo método tradicional champenoise passando pelas instalações. As modalidades são:

  •  Visita + Degustação Clássica (Espumantes: Amadeu Brut + Amadeu Brut Rosé + Amadeu Moscatel): R$ 30
  •  Visita + Degustação Conceito (Espumantes: Cave Geisse Brut + Cave Geisse Extra Brut + Cave Geisse Rosé): R$ 60
  •  Visita + Degustação Premium (Espumantes: Cave Geisse Blanc de Blanc + Cave Geisse Blanc de Noir + Cave Geisse Terroir Rosé): R$ 80

Degustação de vinhos

Visita + Degustação Chile Clássico (Reserva Carmenere + Reserva Cabernet Sauvignon + Reserva Bland): R$ 40

Visita sem degustação: R$20

Os horários para visitação interna + degustação são:

Segunda a Sexta-Feira: 9h, 10h, 13h, 14h, 15h e 16h.

Finais de semana e feriados nacionais: 10h, 11h, 12h, 13h, 14h, 15h, 16h.

Os valores são individuais e podem ser revertidos integralmente em compras na loja.  As visitações são realizadas através de agendamento, que pode ser realizado neste link.

Geisse Experience

A “Geisse Experience” é um passeio que tem como objetivo proporcionar ao turista de forma aventurosa um conhecimento amplo sobre a principal característica da vinícola: o conceito de terroir. Terroir é definido como o conjunto adequado de microclima, solo e variedade da uva para obter vinhos de personalidade e características únicas.  A vinícola trabalha com vinhedos em uma área demarcada e escolhida a partir de características de solo especiais para a produção das variedades Chardonnay e Pinot Noir, utilizadas na elaboração de espumantes.

Durante o passeio guiado realizado em um carro 4×4 em meio à mata virgem e aos vinhedos, é possível desfrutar das belezas que compõem esse terroir e descobrir os principais diferenciais do cultivo. A área total da vinícola são 76 hectares, das quais somente 25 hectares foram demarcados e selecionados para o plantio dos vinhedos pelas suas características excepcionais, o restante da área foi preservada com a mata nativa que ajuda a compor o terroir, imprimindo características únicas aos espumantes.  O passeio também inclui duas paradas para degustação de espumante.

Os valores para 1 e 2 pessoas é R$ 200,00, para 3 pessoas: R$ 250,00, para 4 pessoas: R$ 300,00 e 5 pessoas: R$ 350,00. Crianças e adolescentes de 8 à 17 anos pagam R$ 30,00 e os menores de 7 anos não pagam. O tempo estimado do passeio é de 1h30.

O passeio pode ser feito em finais de semana e feriados nacionais. Os horários são 10h, 12h, 14h ou 15:30. Para participar da experiência, o turista deve agendar o passeio através deste link.

Open Lounge

A vinícola também conta com o espaço  “Open Lounge”.  É um jardim com mesas e pufs embaixo de árvores em área aberta agradável. Tem um pequeno deck fechado, onde é possível comprar garrafas e taças de espumantes gelados, drinks, sucos e lanches, como as tradicionais empanadas chilenas, tábua de frios e sobremesas.

É aberto nos finais de semana e feriados nacionais. O horário de funcionamento é das 11h até 17h ou 18h durante o Horário de Verão. Não há necessidade de agendamento prévio.

 Para saber mais: 

Endereço: Linha Jansen, s/nº
Fones: (54) 3455-7461 / 3455-7463
turismo@vinicolageisse.com.br
http://www.vinicolageisse.com.br/

 

Experiências Valorosas

Além do enoturismo, há outras vivências imperdíveis em Pinto Bandeira.

 

Museu Sueco

Pouco se fala, mas não existem só descendentes de italianos e alemães na região da Serra Gaúcha. Abatidos pelas consequências devastadoras das Guerras Napoleônicas, grupos provenientes da Suécia começaram a emigrar no século XIX em busca de melhores oportunidades em países da América. Entre eles, o Brasil. Registros históricos constam que cerca de 50 famílias suecas se estabeleceram na região serrana do Rio Grande do Sul. Muitas outras, ao se depararem com as adversidades de uma região ainda inabitada e inóspita, voltaram ao país de origem.

A fim  de resgatar a história, preservar e divulgar as tradições de seus antepassados, Vilma Bohm Tasca, da terceira geração de suecos da região, fundou o Museu Sueco.

É um lugar para ser desvendado por turistas que gostam de descobrir preciosidades. Entre Pinto Bandeira e Farroupilha e localizado três quilômetros após a Cave Geisse, o Museu Sueco abriga ainda o Museu do Linho e um Café, e é neste lugar singelo e belo que Vilma recebe os visitantes que desejam saber mais sobre a imigração da Suécia e sobre seu conhecimento na confecção de cordas em linho.

A cozinheira de mão cheia e verdadeira chef, Sônia Maria Foresti Bohm, prepara os pratos de inspiração na gastronomia sueca, que são servidos aos turistas que fizerem agendamento.

A grande mesa central coberta de doces e salgados coloridos com esmerada decoração,  na ambiência da casa de madeira, remete a um café europeu. Ao degustar as pequenas almôndegas, servidas com uma maionese com picles; o tradicional sanduíche aberto; os waffles docemente harmonizados com geleias e aromatizados de baunilha; a torta de merengue, entre tantos outros sabores que harmonizam tão bem com o chá de maçã, canela e algo mais, percebemos que tudo foi feito com muito carinho e esmero e nos sentimos confortados. Não é exagero dizer que foi o melhor café que já degustei!

Importante salientar que o Café só atende mediante reserva e para grupos de no mínimo 15 pessoas, mas, visando atender aos ‘turistas avulsos’, ou seja, aos casais ou pequenas famílias, passaram a abrir no terceiro domingo de cada mês, das 15 às 17h. Ainda assim, é importante agendar. A visita ao Museu custa R$5 e o Café tem um custo de R$ 40.

Museu Sueco e Museu do Linho.
Delicioso café!
Vilma e Sônia, uma dupla de simpatia e hospitalidade!
O Prefeito de Pinto Bandeira, Hadair Ferrari, acompanhou nossa visita ao Museu Sueco.
O restaurante onde é servido o café.

O Museu Sueco está localizado na Linha Jansen, no distrito de Farroupilha, a 3 quilômetros da Cave Geisse. O telefone para contato e reservas é (54) 991384095 (WhatsApp) ou (54)3261-9188 / 3504-2019.

 

Mirante da Cascata dos Amores

 Localizada junto à Pousada Fornasier, no caminho entre Bento Gonçalves e Pinto Bandeira, o Mirante da Cascata dos Amores é ponto obrigatório de visita. Uma breve parada para apreciar a vista da cascata e fazer uma foto especial. Não deixe de fotografar o próprio mirante, que é  lindo inclusive à noite, quando está iluminado.

 

Para se Aventurar Mais

Apresentamos algumas sugestões, como ir até a Ponte de Ferro de Nova Roma do Sul, onde é possível fazer uma parada no bar e restaurante e, antes, passar pela Ponte de Pedra. A estrada de chão aumenta o ‘clima’ de aventura. Num outro caminho (Linha Brasil), também passando por estrada de chão, é possível visitar a Gruta de N. Sra. de Lourdes, local de uma festividade religiosa que vale a pena ser vivenciada.

 

Ponte de Pedra sobre o Rio Vinte

Diante das dificuldades enfrentadas pela população de Pinto Bandeira para comercializar com os municípios de Antônio Prado e Vacaria, localizados do outro lado do Rio das Antas, em 1917 a população se uniu para abrir uma estrada que ligasse o distrito até o rio.  Com a ajuda de uma balsa, alcançavam o outro lado do rio e assim poderiam comercializar seus produtos.

A estrada começou a ser aberta onde hoje localiza-se o cemitério central do município e alcançou um percurso de aproximadamente 6 km.

Próximo ao Rio da Antas, os trabalhadores encontraram um obstáculo que os impedia de continuar a obra. Passava ali outro rio menor, o chamado “Rio 20”,  que mais adiante deságua no Rio das Antas. mas que os impedia de continuar ali uma estrada.  Resolveram, então, construir uma ponte. Com a necessidade de ser resistente, escolheram pedra como matéria-prima, material encontrado com facilidade na região.

Em 1918, as obras começaram. A construção da denominada Ponte de Pedra exigiu dedicação e esforço dos trabalhadores, haja vista que foi construída em pedra maciça.  A retirada do local de origem e o entalhamento das pedras foi todo realizado à mão, apenas com o suporte de martelos e picaretas.  O transporte do material até a ponte era feito com carrinhos de mão ou com a ajuda de carroças.

Após 6 anos de muito trabalho, dedicação e esforço conjunto, em 1924 os bravos homens viram sua magnifica obra concluída.

A ponte toda talhada em pedra maciça tem aproximadamente 3 metros de extensão, 4 metros de altura do seu topo até o rio. Sua parte inferior tem o formato de arco – da parte mais alta de seu arco até o rio temos aproximadamente 3 metros de altura.

É uma grande obra que se esconde em meio a natureza, com um rio de águas calmas que corre embaixo dela, e logo adiante se torna gigante ao se encontrar com as águas do conhecido Rio das Antas.  Já foi cenário de books fotográficos,  de amadores, mas serve principalmente de local de convivência entre os moradores de Pinto Bandeira e arredores, que se reúnem nos finais de semana no lugar para degustar um bom churrasco com amigos.

A distância Pinto Bandeira até a Ponte de Pedra é de 5,8 km.

 

Ponte de Ferro

 Localizada no distrito de Nova Roma do Sul, vizinho de Pinto Bandeira, as obras da Ponte de Ferro  foram iniciadas em novembro de 1928, durante o governo de Getúlio Vargas. Após uma parada na Ponte de Pedra, vale  a pena conhecer a obra histórica.

Inicialmente, foi construído um pilar de 22 metros de altura no meio do Rio das Antas. Os blocos de pedra basáltica foram fornecidos por duas pedreiras localizadas uma em cada margem do rio e as barras de ferro eram produzidas na oficina da Viação Férrea do Estado do Rio Grande do Sul, na cidade de Garibaldi, e transportadas por trem até Farroupilha na antiga estação férrea Nova Vicenza. De lá, eram levadas em caminhões até o rio.

A distância da Ponte de Pedra de Pinto Bandeira até a Ponte de Ferro de Nova Roma do Sul é 3,3 km.

 

Gruta Nossa Senhora de Lourdes

A Gruta Nossa Senhora de Lourdes está localizada na Linha Brasil e constitui-se num recanto de devoção e fé, patrimônio herdado por todas as gerações e fruto incansável dos antepassados dos habitantes da região. É uma gruta seminatural, em uma pedra gigantesca cujo vão já existia e do topo vertia água constantemente.

Para ampliar o lugar, a rocha foi escavada com a ajuda de toda a comunidade fazendo uso de recursos rudimentares. A obra foi iniciada no ano de 1944 tendo à frente o Pe. Domingos Marini, que é natural da região, e foram necessários aproximadamente três anos de construção.

A imagem de Nossa Senhora de Lourdes foi doada por Teodoro Bortolo Marin, que, por encontrar-se muito doente, pediu a graça da saúde e foi atendido.

Atualmente, o local conta com salão comunitário, construído em 1984, para a festa realizada anualmente no mês de fevereiro, em homenagem à santa .

A distância de Pinto Bandeira até a Capela São Marcos, na Linha Brasil, é de 7,2 km e da capela até a gruta, 3,2 km.

 

Outras Possibilidades

 

Câmara Fria Rizzardo

Pinto Bandeira possui muitas câmaras frias, para manutenção do pêssego durante a safra. Uma das que está aberta para visitação no período da safra do pêssego é a Câmara Fria Rizzardo.

Mais informações e reservas pelo fone 54. 9 9972 4615.

 

Acervo de Lucindo Pavan

Algumas pessoas nos indicaram conhecer o acervo do Sr. Lucindo Pavan. Ele nos recebeu em sua casa e nos conduziu até a antiga residência, onde, numa pequena casa e no porão de outra estão guardadas algumas relíquias de família.

Mais informações e reservas pelo fone 54. 3455 7383. É fundamental agendar com antecedência.

 

Onde Comprar

 

Empório Castelamare

É um espaço recém-idealizado pela sua proprietária, Sandra Odorcick, que já gerenciava um bar e armazém. Ao perceber o crescimento no número de turistas, Sandra decidiu empreender e investiu em um belo lugar para acolher os visitantes que buscam produtos locais. O foco da casa é a comercialização dos produtos da Cooperativa São João, que tem sede em Farroupilha, mas produção bem próxima do Empório, além das deliciosas e lindas tábuas de frios (embutidos e queijos), com frutas da estação e pão (opcional) As tábuas são oferecidas em dois tamanhos: grande, que custa R$ 55, e a média, por R$ 45. Também há a opção da tábua de torradinhas com patês e geleias por R$ 25.

O espaço funciona das 9h às 17h, na Linha 28. O telefone para contato é (54) 3455-7367. Mais informações e reservas: https://www.facebook.com/emporiocastellamare/

 

Casa do Artesão

Aqui o artesanato segue firme e lindo, cultura que é mantida pelas mãos, mentes e coração de queridas mulheres. Conheço elas há algum tempo e admiro a persistência com que seguem costurando, bordando, trançando seus sonhos de ter a Casa do Artesão constituída de fato. Enquanto isso, você pode encontrar as senhoras Domingas de Lourdes Nichetti, Margarida Nichetti Bottin, Lourdes Trivelin de Toni, Terezinha Paese e Helena Guisso  no centro da cidade, na propriedade de uma delas.

Endereço: Rua Sete de Setembro, 817. Fundamental avisar antes. Fones: 54.34521665 ou 34680130.

 

Agroindústrias

 

Como as cidades vizinhas, Pinto Bandeira é farta em agroindústrias familiares de qualidade. Infelizmente, não pudemos visitar as principais, que estavam participando de uma feira em Bento Gonçalves. Ainda assim, conhecemos os produtos de alta qualidade produzidos na região e indicamos alguns dele aqui:

 

Destilados Santin e Sabores do Vale

A Cachaçaria Santin começou sua história como um pequeno alambique artesanal criado por quem amava a arte da cachaçaria. Isso há cerca de 6 anos. Recentemente, foi premiada na categoria cachaça prata na Expointer 2018.  Os produtos podem ser encontrados nos estabelecimentos de Pinto Bandeira, como no Empório Castelamare.  O telefone para contato da empresa é (54) 3455-6283.

 

Sabores da Montanha

 A agroindústria foi fundada em 2008 por Cirley Lorenzatti, uma entre muitas mulheres empreendedoras da região que investiram e cresceram através do trabalho duro e gratificante da agricultura familiar. Na propriedade, a família cultiva frutas como uva, pêssego, figo, bergamota, caqui e outros, que utiliza para produção de doces, geleias e frutas desidratadas. 

A marca possui o selo estadual Sabor Gaúcho e o federal de Agricultura Familiar, que visam garantir a qualidade e os modos de produção artesanais.  O empreendimento está localizado na Linha Jansen e o telefone para contato é (54) 3455-7365.

 

Onde Ficar

Pousada Don Giovanni

 Encantadora e aconchegante, a pousada é famosa por mesclar arte, antiguidades e conforto, além de ter fama reconhecida por sua gastronomia. Reúne, em um lugar minuciosamente bem decorado, vinícola, pousada e restaurante. E tudo encanta! A família responsável pela consolidação do que hoje é um dos melhores hotéis da Serra Gaúcha, comprou a propriedade da empresa Dreher, que a utilizava como centro tecnológico, e transformou em um espaço onde hoje se fabricam vinhos de alta qualidade e se hospeda em grande estilo. A casa de estilo tradicionalesco foi construída nos anos 1930 e transformada em pousada em 1997.

A pousada está localizada na Linha Amadeo, km 12. O telefone para contato é (54) 3455-6294. Mais informações, clique aqui.

 

Pousada Dona Elida

 Simples mas satisfatória, recentemente a pousada passou por remodelação para melhor atender ao maior número de turistas visitando a cidade. Oferece o essencial em um ambiente intimista e familiar, com dez quartos – destes, três são suítes. Encanta o acolhimento familiar, a lareira no piso térreo e o fato de estar junto ao Restaurante Colheita Sazonal.

O estabelecimento esta localizado na Rua Sete de Setembro, 1471, no Centro de Pinto Bandeira. O telefone para contato é (54) 3468-0057. Mais informações, clique aqui.

 

Pousada Fornasier

 A maior pousada de Pinto Bandeira está localizada num lugar privilegiado, rodeado de vistas deslumbrantes da serra. Suas instalações são bastante simples e contam com o diferencial da maravilhosa vista das janelas. Possui sala de jogos, áreas de entretenimento e piscina. Fica próxima ao Mirante da Cascata dos Amores – o que é um ponto forte.

Fica na Estrada para Pinto Bandeira e o telefone para contato é (54) 2521-2666. Mais informações, clique aqui.

 

Onde Comer

 

Restaurante Don Giovanni

 Os jantares harmonizados do Restaurante e Pousada Don Giovanni esbanjam sofisticação em um ambiente agradável que une o que a Serra Gaúcha tem para oferecer de melhor. Os pratos são servidos em 4 tempos – entrada, risoto, prato principal e sobremesa – todos harmonizados com vinhos produzidos no próprio local, que também é uma vinícola. A Dona Bita é conhecedora da boa cozinha, com comida de verdade, e sabe valorizar como ninguém uma alcachofra, aliás, o risoto com este vegetal é meu prato preferido.

O restaurante/pousada/vinícola está localizada na Linha Amadeo, km 12. O telefone para contato é (54) 3455-6294. Mais informações, clique aqui.

 

Champenoise Bistrô

 Mais do que comida, oferece uma experiência gastronômica completa e surpreendente. O Champenoise Bistrô aborda a culinária italiana tradicional da região com um modo atual. Os sócios do empreendimento são membros do Convivium Slow Food Primeira Colônia, ou seja, aplicam, em todos os processos do restaurante, a filosofia do alimento Bom, Justo e Limpo. Assim, os pratos, que utilizam de ingredientes orgânicos e são preparados de modo sustentável,  detém ainda mais qualidade de sabor. Não é para menos, uma vez que o restaurante é do casal Marina Santos e Isral Dedea Santos – a primeira, com especialização em agroecologia e o segundo, chef de cozinha. Uniram suas qualidades e transformaram a pequena casa, construída em 1927, em um dos melhores restaurantes contemporâneos da região. Vale a visita.  O valor do menu completo está por volta de R$95,00 por pessoa.

O restaurante está localizado na Linha Amadeo e fica aberto de quinta-feira à domingo, das 12h às 14h30min. O telefone para contato e reservas é (54) 9 9660-3382.

 

Colheita Butique Sazonal

O Colheita Butique Sazonal inova ao apresentar conceitos da cozinha de fogo e técnicas rudimentares de cozinha. São poucos restaurantes brasileiros que buscam este resgate às origens em pratos deliciosos como os oferecidos no local. O casal Giordano Tarso e a Ana Gonçalves, também integrantes do Convivium Slow Food Primeira Colônia, se atentam aos alimentos orgânicos, muitos cultivados nas proximidades do restaurante, e priorizam ingredientes sazonais na confecção dos mais diversos e elaborados pratos.  A prática visa o respeito pelo tempo de plantio e colheita para garantir alimentos frescos e mais saborosos.

A ambiência do local é acolhedora e proporcionam uma verdadeira experiência gastronômica ao turista em um local rústico e informal. Aos finais de semana, os almoços funcionam no esquema “menu degustação”, preparados na brasa pelo proprietário e chef Giordano Tarso. Aí é servido um menu degustação de 7 passos, uma verdadeira ode ao sabor. O valor do menu completo está por volta de R$95,00 por pessoa.

O local funciona junto à Pousada Dona Elida, administrada pela mãe do chef, na rua Sete de Setembro, 1471. O telefone para contato e reservas é (54) 99977-1210. Mais informações www.facebook.com/colheitarestaurante.

 

Paisagem da Vinícola Don Giovanni.

IMPORTANTE!

O Viajante Maduro visitou Pinto Bandeira a convite da Prefeitura Municipal. Agradecemos pelo fundamental apoio de Angelita Pavan Poloni, na busca de informações sobre os atrativos visitados e na observação atenta dos textos.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade! A autoria das fotos é de Ivane Fávero . Edição de Lúcia Fávero e Júlia Freitas, que também contribuiu com o texto.

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Degustação no Pôr do Sol da Don Giovanni.
Nós, brindando no Restaurante e Pousada Don Giovanni.
Vista do Mirante da Cascata dos Amores.
Adoramos este conselho 😉
Entardecer na Don Giovanni.

Vinhedos da Cave Geisse.

Comentários