Uma das 7 Maravilhas da Natureza está em Foz do Iguaçu: dicas para bem aproveitar esta cidade!

Relatamos, neste post, nossa experiência num período especial, quando ainda vivemos a pandemia, neste destino que esta trabalhando com afinco medidas de biossegurança para o controle do Covid-19 no turismo. Visitamos as Cataratas do Iguaçu, o Marco das Três Fronteiras, o Templo Budista, os Saltos de Monday, fizemos o Walking Tour pelo Centro Histórico. Enfim, experiências valorosas em Foz do Iguaçu.

 

Cataratas do Iguaçu

Uma das 7 Maravilhas da Natureza, do mundo, está aqui no Brasil!
As Cataratas de Iguaçu, o maior conjunto de quedas d’água do mundo!
E, dentro de um parque ambiental nacional, o Parque de Iguaçu, que é Patrimônio Natural da Humanidade.
Eu já conhecia todo este fantástico patrimônio, mas o Rômulo ainda não. Perguntei a ele qual a razão e ele justificou que seu imaginário era de que só havia umas cascatas e compras no Paraguai, o que nunca o estimulou a viajar para Foz do Iguaçu. Mas sua opinião mudou completamente ao visitar o Parque das Cataratas! Entendeu a importância de todos os 1.700 km quadrados  de mata atlântica preservada, onde vivem animais, alguns ameaçados de extinção. Sentiu a força das águas, vibrando energia. Compreendeu o quanto o turismo, organizado e planejado, com envolvimento da comunidade, pode contribuir para o desenvolvimento social, econômico e cultural e, principalmente, para a preservação ambiental.
Nos acompanhe também pelo Instagram e Facebook.
Nossas dicas: 
  • Visite o Parque com calma, com tempo. Aprecie toda a natureza. Não tente atalhar e só focar em fazer a melhor fotografia, que também é legal, mas não pode ser o objetivo, certo?!;
  • Entregue-se para todas as experiências. Se puder caminhar, faça a trilha de 1,8 quilômetros;
  • Entenda a história, a formação e, inclusive, a razão de ter uma estátua de Santos Dumont na área nobre do parque – essa história é bem interessante;
  • Contemple a bela estrutura do Belmont Parque do Iguaçu, o belo hotel rosa-pastel, onde é possível fazer um piquenique no jardim (ou só contemplar, como fizemos). O hotel foi construído nos anos 50 e possui belíssimos azulejos portugueses;
  • Aproveite a boa gastronomia do Porto Canoas, faça uma refeição enquanto observa a beleza das águas, em um lugar ventilado (especialmente no verão). Prove a cerveja Jaguaretê que reverte parte dos recursos arrecadados para projetos de preservação das onças. Mas não deixe de provar o suco de abacaxi com hortelã!!! Ah, os peixes servidos são excelentes!!!;
  • Procure visitar num dia de semana, quando o movimento é menor. Nesta segunda-feira estava perfeito, pouquíssimas pessoas;
  • Se tiver condições, contrate uma agência e tenha o privilégio de fazer uma visita exclusiva, conhecendo lugares históricos, recônditos, que poucos sabem existir. Fazer com a Lets Go Travel foi um super diferencial! Eles são espetaculares.

Nos acompanhe também pelo Instagram e Facebook.


Ao programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:


Parque das Aves

Conhecer o Parque das Aves vai além de observar belíssimas espécies, em sua magnitude de cores, plumagens e comportamentos. O melhor é aprofundar o conhecimento no trabalho de preservação de aves que estavam sendo vítimas do tráfico, geralmente internacional, e, ainda, estas e outras, em risco de extinção. As aves estão inseridas na natureza, encontrando-se em grandes e enormes cativeiros, pois o parque está dentro de uma área preservada de Mata Atlântica.
Um privilégio poder interagir com estas belíssimas aves.
Gratidão à Lets Go Iguassu pelas excelentes explicações, um privilégio estar acompanhados de dois guias da região, sendo que a Bruna, ainda por cima, é bióloga.
Ainda, tivemos a honra, hoje, de conhecer a filha do casal de fundadores do Parque das Aves, a Carmel, que nos recebeu com carinho e afeto e nos confessou que havia visto o trabalho do Viajante Maduro e apreciado o conteúdo. Uma honra ouvir isso de alguém que faz um trabalho tão lindo, seguindo a construção de sua mãe,  a veterinária Anna-Sophie Helene, que, em 1976, se mudou da Alemanha para a Namíbia, na África, onde conheceu o sul-africano Dennis Croukamp. Eles trabalharam juntos, se apaixonaram e tiveram duas filhas: Anna-Luise e Carmel. A vinda para o Brasil, para implantar o parque, iniciou com um presente que ganharam no outro lado do oceano, um papagaio-do-congo, que precedeu a aquisição de outras aves. Mas, antes a família se mudou para a Ilha de Man, no Reino Unido.  Foi lá que um amigo sugeriu que abrissem um parque de crocodilos em Foz do Iguaçu, no Brasil. Dennis replicou: “Eu gosto de aves. Criaremos um parque e aves”. Assim surgiu o Parque das Aves que ‘trabalha por um mundo melhor, onde as pessoas possam viver em harmonia com a natureza’.
A área possui 16 hectares de Mata Atlântica e mais de 1.300 aves, de cerca de 130 espécies, sendo mais de 50% proveniente de apreensões. O Parque também participa de diversos programas de conservação, algumas paralisadas pela pandemia, outras sendo retomadas.
Gratidão ao Parque das Aves, Polo Iguassu e Visit Iguassu por nos receberem com tanto carinho!

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:


Templo Budista Chen Tien

Meditação! Mais do que nunca, reconhecemos a importância da meditação, da conexão com o Eu Superior. De acalmarmos corpo, mente e alma. Da calma!

Neste período difícil para o mundo, foi um privilégio poder caminhar pelo Templo Budista Chen Tien e contemplar a bela paisagem, com linda visão de Foz do Iguaçu e da Ciudad del Este, no Paraguai, e a fantástica intervenção humana com a construção do belo Templo, as 120 estátuas e os belos jardins.

Fizemos a visita com a indicação do Visit Iguassu e a condução da Lets Go Iguassu, que nos explicou muitos detalhes sobre o Templo e a melhor forma de aproveitar a visita.

Assim, soubemos que os responsáveis pela obra, de 1996,  são budistas chineses que vivem na tríplice fronteira (Brasil, Paraguai e Argentina). Também pudemos observar as frases de cunho espiritual escritas nas paredes. Entender o papel do Templo. Agora a visita interna no Templo não pode acontecer (somente contemplamos por uma porta) e aproveita-se o lindo jardim com inúmeras estátuas, de onde se observa a imponente estátua de 7 metros de Buda.

Com entrada gratuita, o Templo está aberto de terça-feira a domingo, das 9h30min às 16h30min (mas consulte com seu agente ou pelo site, pois nestes tempos dias e horários mudam).

Compramos um pequeno, mas esclarecedor, catálogo que conta a história do Templo e das inúmeras estátuas de Buda e de outras divindades budistas.

Vale reforçar que o Templo é lugar de introspecção, um lugar que merece o respeito do visitante.  Recomendamos a visita para todas crenças, credos e idades! De fato, há muito para se vivenciar em Foz do Iguaçu, um mundo de culturas!

Marco das Três Fronteiras

Um território de fronteira com três países convivendo harmonicamente. Essa é a realidade (no passado já tivemos conflitos – inclusive a terrível Guerra do Paraguai) da tríplice fronteira, unindo o Brasil, Argentina e Paraguai, por meio de pontes que ligam as margens do imenso Rio Paraná!

No lugar onde está o marco brasileiro, onde se encontra cunhada a margem de nosso país, há um obelisco verde e amarelo, de onde se pode contemplar os monumentos dos outros dois países. No lado brasileiro foi construída uma importante estrutura turística, com lojas, auditórios, jardins, bares e restaurante.

O ideal é visitar no final do dia e contemplar o pôr-do-sol enquanto ocorre um espetáculo emocionante que conta a estória de amor de Naipi e Tarobá (lenda que, de acordo com os indígenas, seu amor deu causa às Cataratas de Itaipu feitas pelo deus M-Boi) e apresenta danças e músicas dos três países. Há grafites, esculturas, placas e outros locais de interação no local, muito ‘instagramáveis’. Também aproveitamos um pouco 😉 Mas, de fato, nos emocionamos com a interpretação da lenda de amor, um louvor à natureza, com o fundo da música do filme “A Missão”, do grande compositor italiano Enio Moriconne. Essa mesma música foi interpretada em nosso casamento… nos abraçamos emocionados!

Todos os visitantes tem a temperatura aferida e é exigido o uso das máscaras e do álcool (nas mãos). Quando fomos havia uma quantidade expressiva de visitantes, mas sendo uma área aberta (jardim), nos mantivemos afastados e foi possível contemplar o belíssimo espetáculo e, ainda, usufruir a gastronomia do Restaurante Cabeza de Vaca.

Soubemos que o Marco das Três Fronteiras completará 117 anos no dia 20 de julho de 2020. O seu obelisco foi inaugurado no dia 20 de julho de 1903 – cerca de 11 anos antes da emancipação política da cidade de Foz do Iguaçu, ocorrida em 1914. Mas, para quem visitou até 2015, saiba que o lugar está todo revitalizado, pois ganhou, há cerca de cinco anos, R$ 30 milhões em investimentos do Grupo Cataratas, responsável pela gestão turística e transformação do atrativo.

‘O lugar mais charmoso de Foz do Iguaçu‘ abre diariamente, das 15h às 21h, na alta temporada. O ingresso custa R$ 35,00.

Fizemos a visita com a Lets Go Iguassu, que nos deu todas as dicas para o melhor aproveitamento do Parque, inclusive nos apresentando a obra (em pleno andamento – com investimentos da Itaipu Binacional) da nova ponte que ligará Foz do Iguaçu ao Paraguai (pelo município de Presidente Franco), que se revela aos poucos como uma bela obra da engenharia.

Usina Hidrelétrica de Itaipu

Impactante! Impressionante! Grandiosidade!

Visitar a Itaipu é uma aula de energia, engenharia, economia, impacto e alternativas ambientais e sócio-culturais! Turismo técnico/científico, com segurança e responsabilidade! Todos os protocolos de biossegurança estão implantados e a visita panorâmica só acontece na parte alta e aberta dos ônibus. A maior usina em geração de energia do mundo e a segunda em extensão impressiona pela grandiosidade dos números. Para ter ideia:

– o ferro e aço de 380 Torres Eiffel;
– o concreto de 210 estádios do Maracanã;
– altura de um edifício de 65 andares;
– ritmo de obras alucinante: 1 edifício de 20 andares a cada 55 minutos;

Toda energia gerada é dividida entre o Brasil e o Paraguai.
Tivemos o espetacular guiamento (e fotos que estamos) da Bruna e do Diogo da Lets Go Iguassu.

Centro de Conscienciologia

O Caminho do Conhecimento por Foz do Iguaçu!

Vivemos experiências realmente diferenciadas nesta bela cidade, um dos principais polos turísticos do Brasil, que tem procurado reestruturar seu turismo, criando alternativas responsáveis e seguras, para um público que está fugindo do turismo massivo. Começamos com experiência o Walking Tour, com a Lets Go Iguassu, percorrendo o centro da cidade e entendo a história e formação desta cidade, desde a Nação Guarani, o Caminho Peabiru (os índios percorriam a trilha que ligava o Oceano Atlântico ao Pacífico – logo havia comunicação entre as diferentes tribos), a ocupação militar e as mudanças nas fronteiras, a chegada dos imigrantes, a formação da Vila em 1914.

Chegado até o Rio Paraná, no local que ligava Foz até o Paraguai, antes da construção da Ponte da Amizade. Entendemos o quão rica em patrimônio imaterial é esta cidade! Uma passada pela feirinha, que está um pouco menor, em função da pandemia, mas que apresenta um pouco das 86 etnias presentes nesta cidade. O almoço foi no CEAEC. Onde fomos percorrer o “Caminho do Saber”, formado pelos 174 bustos dos grandes pensadores da humanidade. Entendemos a conscienciologia e fomos guiados pelo Antônio, um português simpático que já viveu ‘em todo mundo’ e que fincou morada por aqui, aprofundando seu saber. O CEAEC fica no Bairro Cognópolis (sim, um bairro inteiro dedicado ao ‘estudo da consciência e suas implicações nos destinos individuais e coletivos do ser humano’), criado em 2009, ao lado do Hotel Mabu Interludium e recebe visitantes de várias partes do mundo (em tempos normais), em busca da enorme bibliografia, espaços de discussão, como o Tertuliarium. As visitas de grupos estão suspensas no momento, mas eles atendem alguns visitantes particulares sob agendamento prévio. Vale visitar, se encantar com a natureza, contemplar, aprender, meditar, viver! Viva Foz do Iguaçu!

Paraguai

Definitivamente se não és um comprador-vendedor de produtos dos free-shops paraguaios, sua principal razão para uma visita a Foz do Iguaçu não será fazer compras em Ciudad del Este e, talvez, não visite o Paraguai.

Foi o que fiz em outras duas ou três vezes que estive aqui. Como não queria fazer compras, nunca cruzei a fronteira para o Paraguai.

Desta vez, com a super condução da agência de receptivo Lets Go Iguassu, fizemos a travessia, que foi bastante tranquila, só uns minutos (longe das 3 horas de espera de antes de 2020 – na alta temporada que estamos), visando seguir até o município de Presidente Franco, região do Alto Paraná, onde estão localizados os Saltos de Monday!

Sim, existe um parque natural de nove hectares que abriga cascatas, sendo que a maior tem altura de 40 metros.

Devemos confessar que desconhecíamos, até pouco tempo, a existência desse patrimônio natural. Adoramos fazer a visita, com toda a explicação de quem não só viu o desenvolvimento deste atrativo, mas fez parte desta história. O Diogo, da Lets Go Iguassu, nos contou todo o trabalho para a preservação e valorização desse lugar. E nos brindou com suas falas em Guarani, o idioma nativo da região, com outros moradores locais.

O parque também adota os protocolos de biossegurança e a visita é super tranquila, só tinha mais uma família, em todo o parque, quando visitamos.

Depois, acabamos conhecendo o China Shopping (dentro do Shopping Paris), por indicação de nossos amigos Diogo e Bruna, que nos apresentaram a ‘muvuca’ das ruas iniciais, onde se aglomeram mais pessoas e nos contaram que boa parte dos iguaçuenses também acabam por preferir estes locais mais organizados de vendas e com os protocolos de controle do Covid-19 melhor implantados e controlados. Uma breve passada para comprar a lente da câmera fotográfica, alguns alimentos e produtos de higiene necessários para a viagem, e voltamos para Foz do Iguaçu.

 

Caminho do Peabiru

Domingo pela manhã é dia de uma caminhada no Centro Histórico de Foz do Iguaçu e, depois, uma visita à Feirinha da cidade. Essa é a proposta da Let’s Go Iguassu – Agência de Turismo Receptivo, num sistema de Walking Tour. Foi excelente, pois gostamos de caminhar e amamos ouvir as histórias contadas por Diogo e Bruna.
Descobrimos, e percorremos, o Caminho do Peabiru (na língua Tupi significa “pe” – caminho e “Abiru” – gramado amassado), utilizado pelos indígenas sul-americanos desde antes do ‘descobrimento’ do Brasil. O caminho ligava o litoral ao interior do continente e mais, nos informaram: dos Andes ao Oceano Atlântico. O que nos fez pensar na aproximação dos Incas com nossos índios.
Entendemos a relevância de Foz do Iguaçu na definição da fronteira do Brasil e compreendemos a presença militar por aqui.
Está bem delimitado o espaço militar, o espaço cívico (os três poderes do município) e o espaço religioso.
Depois fomos até a Feirinha, onde aproveitamos para comprar um mel,  própolis e beber um bom suco.
Recomendamos esta caminhada guiada. Nada melhor para entender a cidade que se está visitando, em todos seus aspectos históricos e culturais.
O Diogo e a Bruna são ótimos guias!

Vinho e Mente

Uma experiência inusitada foi por nós vivenciada no Restaurante do Senac, um prédio histórico, antigo Cassino, que hoje abriga diversos cursos e um restaurante que abre para almoço, nos dias úteis. Adoramos conhecer o casal Leo e Bebel. Ele é sommelier, ela é lifeCoach e palestrante. Eles uniram os saberes e criaram um encontro especial, onde fomos convidados a uma imersão na degustação de vinhos, conectando todos os sentidos, corpo, mente e alma. Como eles dizem: “Àqueles que perceberam que um mundo se abriu diante de seus olhos ao provar a primeira taça de vinho”. E a gente embarcou nesta viagem, provando três vinhos especiais que o Léo trouxe: um brasileiro, um francês e um italiano! Serviço perfeito, deste grande conhecedor, com formações na Itália e na Inglaterra. Aí veio as provocações da Isabel (Bebel) que nos questiona “você já parou para pensar como funciona o cérebro durante uma degustação?”. Adoramos a experiência e recomendamos! Pode acontecer em vários lugares e horários do dia. Agende com a Lets Go Iguassu. Eles também podem te buscar e levar de volta ao hotel, aí nem te preocupas em beber umas taças a mais!

Restaurantes de Foz do Iguaçu

Uma das razões que me atrai a esta cosmopolita cidade é a existência de uma diversidade gastronômica incrível. Diria eu, se fizesse uma chamada para Foz: ‘se não podes viajar o mundo, venha para Foz e viaje pelos sabores das mais diferentes culturas’!
Adoro o Restaurante Árabe Castelo Libanês, viajo em seus sabores. A doceria árabe Albayan também é imperdível e fica em frente à Mesquita Omar Ibn Al-Khatab (fechada para visitas, em função da pandemia).
Adoramos o Pátio Pomare, com seu lindo jardim, onde estão as mesas, cobertas ou não por coloridos guarda-chuvas e a música ao vivo que anima o ambiente diverso, com loja, café, restaurante e pátio!
Quando visitamos as Cataratas do Iguaçu, almoçamos no Porto Canoas e foi muito bom!
Também aproveitamos o restaurante Cabeza de Vaca, que fica junto ao Marco das Três Fronteiras e degustamos um bom chopp e petiscos!
Para encerrar, fomos ao Restaurante China. Adoramos! Autêntico, tradicional e saborosa comida com a marca da gastronomia chinesa!
Sim, viajamos pelos sabores mundiais de Foz do Iguaçu!

Hotel Mabu Interludium Iguassu

Estar em Foz do Iguaçu é ter a possibilidade de usufruir uma excelente estrutura de meios de hospedagem, com mais de 30.000 leitos na cidade!

Nos hospedamos no Hotel Mabu Interludium Iguassu e foi excelente! O hotel fica no Bairro Cognópolis, caracterizado por ser uma região mais calma e mais arborizada, onde está localizado o Centro da Conscienciologia – CEAEC. Lugar calmo e tranquilo, com todos os protocolos de turismo responsável e seguro bem implementados!

Aproveitamos e nos deliciamos com o café da manhã e os deliciosos jantares. Também aproveitamos para caminhar no entorno do hotel e usufruir a massagem ofertada pela B.Weel nas dependências do hotel.

O atendimento feito pelos inúmeros colaboradores do hotel é muito especial. Eles são simpáticos, profissionais e extremamente atenciosos com os hóspedes.

 

Em tempo, a fronteira com a Argentina segue fechada em função da pandemia.

Resumo: Vale visitar Foz do Iguaçu e entender que este é um destino muito maior do que um município! São três fronteiras num só lugar! Ademais, embora tenha um turismo de compras, Foz do Iguaçu tem inúmeros atrativos naturais e culturais que valem a pena ser conhecidos.


Importante:

Contamos com o apoio do Visit Iguassu e outros parceiros do turismo de Foz do Iguaçu para realizarmos esta viagem e vivenciarmos todas as experiências.

O Viajante Maduro viaja como ideal de vida e profissão.

Em todos os lugares mantivemos um comportamento de responsabilidade, privilegiando os espaços que nos ofereciam segurança (Ambiente Limpo e Seguro), com relação ao Covid-19.

O Viajante Maduro está fazendo uma Road Trip pelo Brasil, especialmente nas regiões Sul, Centro e Sudeste.

Esta matéria contou com a colaboração da futura publicitária Lúcia Fávero Moraes.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade!

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Comentários