Na Terra de D. Quixote de La Mancha – Alcázar de San Juan

Sempre nos encantamos com as histórias de Miguel de Cervantes (1547- 1616) e ler as aventuras e desventuras de seu famoso personagem, Dom Quixote de la Mancha, nos inebriava. A fantasia desse louco sonhador não arrebatou somente Sancho Pança, mas a todos os leitores que, como nós, acreditamos que os moinhos gigantes estão invadindo sua pátria. E foi com este imaginário que chegamos a Alcázar de San Juan, na região da  Mancha.

 

Alcázar de San Juan é um município da Espanha na província de Cidade Real, comunidade autônoma de Castela-Mancha, com população de mais de 28.000 habitantes.

Atualmente, viajar pela região de D. Quixote é se deparar com um destino não massificado (ainda bem!), rico de história, de memórias e de excelentes vinhos e gastronomia.

Nos últimos anos a cidade tem investido no turismo e se posicionado como destino turístico de interior, recebendo um fluxo anual superior a 40.000 visitantes, somente nos monumentos e museus, boa parte públicos, onde é feita a medição. Pudemos comprovar a qualidade do atendimento em seus Centros de Atendimento ao Turista, tanto na receptividade quanto no material apresentado e entregue.

A Secretaria de Estado do Turismo tem trabalhado com o tema #EsAlcázar, #EsCalidad, e reforçado a promoção em feiras e direto ao turista.

Visitamos a região em função de um compromisso da Associação Internacional de Enoturismo – AENOTUR, juntamente com a Associação dos Municípios Portugueses do Vinho – AMPV, em agenda com a Associação Espanhola de Cidades do Vinho – ACEVIN. Após os compromissos oficiais, percorremos alguns dos principais produtos turísticos da cidade e usufruímos a hospitalidade desta gente acolhedora.

Moinhos de Vento
Coroando o Cerro de San Antón como se fossem torres de vigia, os famosos moinhos de ventode Alcazar de San Juan (Rocinante, Fierabrás, Dulcinea e Barcelona) são apenas dispositivos mecânicos de alta precisão usados ​​para moer grãos e fazer farinha, aproveitando a energia da natureza: o vento.

O ofício de moleiro era duro e muito temporário, sendo necessária grande força física para transportar grãos e farinha, ou pedra sobre pedra quando era necessário, o que acontecia em momentos muito específicos do ano após a colheita, basicamente, e apenas nos dias onde o vento era favorável à moagem.
Hoje existem 4 dos 19 moinhos de vento e 2 de água que a cidade possuía. Dois moinhos de vento foram musealizados. Um como Centro de Interpretação da Paisagem Manchego e outro abriga uma reconstrução do maquinário original do século XVI que faz moagem tradicional em várias datas ao longo do ano.
No entanto, outros moinhos poderão ser observados nas cidades vizinhas.

 

Quem lê muito e viaja muito, muito vê e muito sabe.

Dom Quixote

 

Conjunto Palacial del Gran Prior

Este é um dos mais importantes vestígios do passado medieval de Alcázar. No ano de 935, Alcázar (Qasr Banu Atiyya, em árabe) forma parte da Taifa de Toledo. Pela conquista dos campos de Mancha, os reis cristãos concedem, às ordens militares, terras e privilégios, para que sigam com a repopulação e cristianização da zona da fronteira. A antiga alcazaba árabe será o embrião da vila sanjuanista. Esta cidade teve um recinto amurado do qual resta somente a torre do Gran Prior, a Capela do Palácio a a casa de governança.

A antiga Capela de São João Batista foi construída no século XVI. Ao longo da história, serviu de cárcere, cemitério, museu e capela. Atualmente, conta com uma parte de exposições sobre o antigo conjunto palacial. Aqui também podem se observar os vestígios arqueológicos romanos.

Nunca pense que seu amor é impossível, nunca diga “eu não acredito no amor”. A vida sempre nos surpreende.

Dom Quixote

Sonhar o sonho impossível,
Sofrer a angústia implacável,
Pisar onde os bravos não ousam,
Reparar o mal irreparável,
Amar um amor casto à distância,
Enfrentar o inimigo invencível,
Tentar quando as forças se esvaem,
Alcançar a estrela inatingível:
Essa é a minha busca.

Dom Quixote

” O meu repouso é a batalha. “

D. Quixote

Ao final das reuniões, nossos anfitriões nos conduziram para uma região vizinha, o Campo de Criptana, no coração de La Mancha, onde nos dirigimos ao Restaurante Las Musas. Lá provamos o melhor da culinária manchego, enquanto contemplávamos os gigantes moinhos Cervantes.

Sua arquitetura, de Antonio Areán e José Angel Vaquero, é um exemplo que, respeitando a tradição, pode projetar um espaço moderno, interessante e arquitetonicamente belo. É composto por duas salas de restaurante em diferentes níveis. O superior, a partir do qual você pode ver a perspectiva de toda a cidade, graças às suas grandes janelas, e outra no piso térreo, um pouco mais informal, que também tem uma lareira e um palco. Outro espaço é um grande pátio ensolarado com mesas para comer ou tapas e um bar para bebidas nas noites de verão. A partir deste pátio leva para as cavernas, chamado La Marcela, um ideal para tapas, saborear bebidas e até mesmo dança, com músicos, mais ou menos espontânea, às vezes eles rasgado, jogando até que alvorecer ambiente.

Não é exagero dizer que foi um dos melhores restaurantes que já conhecemos na Espanha. Degustamos excelentes vinhos da região e a conversa animada tornou o momento ainda mais especial.

 

A cozinha do restaurante Las Musas é baseada na interessante gastronomia de La Mancha. O difícil equilíbrio entre tradição e modernidade foi alcançado, com total respeito pela matéria-prima, mas dando-lhe um novo jogo, com criações muitas vezes espetaculares. Uma cozinha rica e brilhante. A tudo isso devemos acrescentar um serviço impecável de pessoas charmosas e profissionais, dirigido por Carlos Ortega.

Você pode saborear um universo gastronômico, emparelhado com os melhores vinhos, enquanto contempla as melhores vistas de La Mancha … Do seu prato vai começar um tour visual sugestivo, que começa no expoente máximo do manchego tipismo: o Bairo do Albaicín, para descer pelas ruas e praças do Campo de Criptana até se perder nas infinitas paisagens da planície de La Mancha, um mar de vinhas e campos de cereais cujo grão inspirou a criação dos moinhos de vento.

A liberdade, Sancho, é um dos dons mais preciosos, que aos homens deram os céus: não se lhe podem igualar os tesouros que há na terra, nem os que o mar encobre; pela liberdade, da mesma forma que pela honra, se deve arriscar a vida, e, pelo contrário, o cativeiro é o maior mal que pode acudir aos homens.

Dom Quixote

A liberdade, Sancho, não é um pedaço de pão.

Dom Quixote

 

Saiba mais em:

http://www.turismoalcazar.es/

http://www.spain.info/pt_BR/que-quieres/gastronomia/rutas-vino/

http://elsemanaldelamancha.com/sec/alcazar-de-san-juan/

 

O medo é que faz que não vejas, nem ouças porque um dos efeitos do medo é turvar os sentidos, e fazer que pareçam as coisas outras do que são!

Dom Quixote

 

Importante:

O Viajante Maduro viajou a convite da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho – AMPV e da Associação Espanhola de Cidades do Vinho – ACEVIN.  Ivane Fávero,além de ser blogueira e profissional do turismo, é Presidente da Associação Internacional de Enoturismo – AENOTUR.

A opinião aqui expressa é a nossa verdade! As fotos são de Ivane Fávero.

Não deixe de curtir nossa página no Facebookno Pinterest, no Youtube e no Instagram. Também aproveita e te inscreve aqui no blog, cadastra teu e-mail, assina e depois, quando receber o e-mail em sua caixa de mensagens, confirma! Isso é super importante para a gente! Estímulo para continuarmos com este blog. Agradecemos!

Esperamos que tenham gostado desta postagem, que teve sua elaboração feita com muito carinho e atenção. Queremos compartilhar nossas experiências com o objetivo de ajudar aos nossos leitores a terem experiências e vivências memoráveis em suas viagens, como nós.

A programar sua viagem, utilize os links abaixo. As empresas e serviços aqui indicados foram testados por nós:

Comentários